Rodrigo Santos

Jornalista esportivo - rodrigosantos@omunicipio.com.br

Foco na Série D

Rodrigo Santos

Jornalista esportivo - rodrigosantos@omunicipio.com.br

Foco na Série D

Rodrigo Santos

O Brusque encerrou a sua participação no Campeonato Catarinense sem mostrar novidade alguma. De novo, o time jogou mal pra dedéu, errou passes demais, saiu atrás no placar e empatou na sequência contra o fraquíssimo time do Inter de Lages. Pelo menos não caiu. Termina uma fase do time em que deu tudo errado.

O time montado era inferior ao do ano passado, muitas lesões aconteceram, o que piorou a situação, e o treinador não conseguiu evoluir o time, apostando no manjado esquema do losango que não funcionou, e sem apresentar nenhuma novidade. Por sorte, tinha gente pior.

Tudo caminhava para uma nova etapa na Série D, com a promessa de um novo técnico, até uma reviravolta na noite de segunda que terminou com a renovação do técnico Pingo. Ressalto aqui que o treinador é uma pessoa sensacional e que tem uma história no clube. Mas o insucesso com o Bruscão no Estadual se soma ao vexame do ano passado no Joinville na Série C.

Penso que a diretoria poderia trocar o chip e buscar um novo rumo, com um novo comandante e novas ideias. Mas os diretores de futebol pensaram uma coisa, e o presidente acabou cedendo para a continuidade do trabalho. Então, quem somos nós para torcer contra. Que ele tenha sucesso e leve o time à Série C.

A limpa foi (e tinha que ser) grande no elenco. A própria diretoria admitiu problemas disciplinares e de relacionamento dentro do grupo, o que transpareceu facilmente durante as partidas. Dinheiro não faltou no Estadual, e agora parece que o orçamento será mais enxuto. Só parece, porque a vinda de Lima, artilheiro do Campeonato Estadual, não deve ter custado pouco, já que até o Avaí externou o desejo de contar com o atleta.

Agora o foco é na Série D. Históricamente o Brusque monta um elenco mais enxuto e não tão qualificado em comparação ao catarinense. Mas se o time quiser ter voos mais altos, os patrocinadores precisam ajudar o time a ser bom. O grupo da primeira fase é até relativamente tranquilo de se classificar. Mas o objetivo precisa ser ir bem mais longe.

Lima
Chega a ser surpreendente a vinda do atacante Lima ao Brusque. Artilheiro do Catarinense e maior goleador da história do Joinville, ele chega para assumir a camisa 9 e fazer o que ninguém conseguiu no time durante o Campeonato Catarinense. Mesmo tendo jogado campeonatos amadores no ano passado, ele mostrou no Hercílio Luz que ainda tem muita lenha pra queimar no profissional. Que o Brusque traga bons meias-armadores para abastecer o ataque, se não o “Limatador” vai morrer de fome.

Eles vão
Três jogadores estão com situação definida no Brusque: Rafinha, Ronaell e João Carlos não devem ficar no clube. Além de Lima, devem chegar o goleiro Julio César, do Foz do Iguaçu e o atacante Tiago Pará, do Hercílio Luz.

Público
Outra coisa que o Brusque precisará é reanimar o torcedor, machucado com a má campanha no Catarinense. Pouco mais de 500 torcedores estiveram no Augusto Bauer acompanhando a melancólica despedida do time contra o Internacional de Lages.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio