Funcionários da construção civil e mobiliário querem 8% de reajuste salarial

Negociação atinge dez cidades do estado e cerca de 7 mil trabalhadores do setor

Funcionários da construção civil e mobiliário querem 8% de reajuste salarial

Negociação atinge dez cidades do estado e cerca de 7 mil trabalhadores do setor

Empregados dos setores de construção civil e mobiliário de Brusque e região definiram no fim de semana o rol de reivindicações a ser encaminhado aos empresários na negociação coletiva, da qual faz parte a salarial, referente ao período 2017/2018. As assembleias aconteceram nos municípios de Brusque, Botuverá e Nova Trento, organizadas pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque e região (Sintricomb).

Nos encontros, os trabalhadores decidiram estabelecer o percentual de 8% como pedido de reajuste nos salários. A medida leva em consideração o cenário econômico que enfrenta o país e que tem dificultado as negociações  em diversos segmentos.

“A pauta que temos é bastante enxuta. O trabalhador está sempre querendo mais aumento, o que é normal. Certamente vamos fazer uma negociação bastante produtiva e que agrade os dois lados (patrões e empregados), que é o objetivo da relação entre trabalho e emprego”, frisa o presidente do Sintricomb, Izaias Otaviano.

Os 8% a serem solicitados recaem sobre os valores dos pisos das categorias, bem como para quem recebe acima destes. A pauta será enviada ao longo da semana ao Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque, Guabiruba, Botuverá e Nova Trento (Sinduscon).

A negociação coletiva da construção civil e mobiliário de Brusque e região, intermediada pelo Sintricomb, atende a, aproximadamente, sete mil trabalhadores em dez cidades.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio