Conteúdo exclusivo para assinantes

Fundadora do Anjos do Peito trabalha sozinha há um ano; cerca de 50 mães são atendidas por mês

Entidade solicita funcionário à Prefeitura de Brusque para não encerrar atividades

Fundadora do Anjos do Peito trabalha sozinha há um ano; cerca de 50 mães são atendidas por mês

Entidade solicita funcionário à Prefeitura de Brusque para não encerrar atividades

O Instituto Catarinense Anjos do Peito está há um ano atendendo com apenas uma funcionária. O órgão orienta mães em fase de lactação e que precisam de doação de leite materno para alimentar seus bebês.

A própria fundadora e responsável pelo instituto, Angelina Lúcia Tarter, é quem toca os trabalhos sozinha desde o dia 31 de agosto de 2016. Eventualmente três voluntários lhe auxiliam.

Para não precisar encerrar as atividades que são realizadas oficialmente desde 2011, mas que antes já aconteciam, Angelina solicita que a prefeitura disponibilize um funcionário ou que pague o salário para a contratação de uma técnica de enfermagem.

“O único pedido é que disponibilizem uma funcionária para me auxiliar, ou duas em meio período cada, ou então que paguem o salário de uma técnica de enfermagem, que gira em torno de R$ 2 mil a R$ 2,5 mil”, diz.

Ela conta que até o ano passado tinha uma funcionária que lhe ajudava e que era cedida pela prefeitura. No entanto, ela foi desligada. Hoje, é Angelina que coleta leite na casa das doadoras, que cuida dos relatórios e da parte administrativa do instituto, além de orientar as mulheres que lá procuram auxílio.

Além disso, a fundadora, que é servidora da prefeitura, recebe salário para trabalhar 8 horas por dia – 40 horas semanais, porém, também atende em plantão nos fins de semana. “Sou a ‘euquipe’. Bato o escanteio e vou na área para cabecear. Sozinha é complicado, preciso de gente para continuar a tocar o trabalho”.

O secretário de Governo e Gestão Estratégica, William Fernandes Molina, contatado pela reportagem do O Município, disse não ter conhecimento sobre a situação da entidade.

No entanto, ele assegurou que a prefeitura analisará a possibilidade de ceder um funcionário, se for possível legalmente. “Não vamos medir esforços para isso. São pequenos detalhes, que somados, podem colaborar para que um serviço tão importante como este tenha continuidade”.

Hoje, o vereador Jean Pirola (PP), que abordou a situação do Anjos do Peito na última sessão da Câmara, também se reunirá com o prefeito de Brusque, Jonas Paegle, para solicitar providências sobre o caso.

Atendimento
O Anjos do Peito atende, em média, 50 mães por mês, de Brusque e região. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, e das 13h30 às 18h, sendo que há telefones de plantão no fim de semana – 999-892-642 e 984-235-266.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio