Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Geraldo Alckmin (PSDB) cumpre agenda como pré-candidato à presidência em Florianópolis

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Geraldo Alckmin (PSDB) cumpre agenda como pré-candidato à presidência em Florianópolis

destaque: otário, sempre

Raul Sartori

Palanque, sempre
Lamentável que o 3º Congresso Nacional do Parto Humanizado, que começou quarta-feira e terminou sexta-feira, na Assembleia Legislativa, com mais de 600 participantes de todo país, tenha se transformado em palanque político-partidário. Um absurdo porque o evento nada tinha a ver. No encerramento foi divulgado um “manifesto contra o golpe à democracia brasileira e à retirada de direitos das mulheres e das trabalhadoras em geral”. Lembrou-se, após discursos inflamados, de teor partidário, de reconhecer, também, que o “modelo vigente de parto é machista, misógino e não baseado nas melhores evidências”, mas sempre se insinuando, em contexto mais amplo, que o que aí está foi imposto pelo atual “governo golpista”. Nossa esquerda está precisando retomar o bom senso e a racionalidade, antes que vire piada.

Vaidades tucanas
Em Porto Alegre, por onde iniciou uma excursão no último final de semana, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, questionou o “novo” na política e defendeu a “experiência”, em clara indireta ao prefeito João Dória (PSDB) que disputa com ele a indicação para a presidência da República em 2018. Em Florianópolis, sábado, tentou suavizar: “Novo independe de idade ou de experiência; em política novo significa, sobretudo, a vontade de fazer melhor do que foi feito até hoje”. Ah, bom.

Ecumênico
A propósito da visita: na recepção como pré-candidato à presidência, Alckmin foi saudado não só por lideranças tucanas e empresariais, como por personalidades notáveis de outros partidos, como o governador em exercício, Eduardo Pinho Moreira, os deputados federais Mauro Mariani e Esperidião Amin, e a ex-prefeita Ângela Amin.

Sem requisitos
Em sessão extraordinária, sexta-feira, o TJ-SC decidiu, por unanimidade, declarar que o advogado Alex Heleno Santore não preenchia os requisitos legais para compor a lista sêxtupla, pelo quinto constitucional, à 84ª vaga de desembargador, em processo ocorrido em maio passado. Na sessão ouviu-se expressões de alívio por ter sido virada uma das mais tristes páginas da história do Judiciário catarinense.

Bandeira azul
Depois de ter perdido a Bandeira Azul – a maior certificação mundial de qualidade de balneários – da praia de Palmas, a prefeitura de Governador Celso Ramos acordou. Formou um grupo gestor para retomada da qualificação e buscar o diploma para outras duas maravilhas naturais que o município tem: a Praia dos Magalhães e Baía dos Golfinhos. É assim que se faz, sem descuidos.

Desarmamento
Um dia depois de prefeitos da região metropolitana pedirem mais tempo para “aprofundamento” de várias ações em conjunto, algumas sendo discutidas há décadas, o secretário de Estado do Planejamento, Murilo Flores, fez um apelo, sexta-feira, em novo encontro. Pediu que os executivos municipais, vereadores e lideranças políticas “se desarmem”. É que cada um quer resolver os grandes e graves problemas da região metropolitana utilizando os mecanismos de gestão com olhar único do seu município, até para não perder receita de multas de transito! Isso se chama provincianismo. E quando envolve políticos, é atraso do atraso.

Otário, sempre
O contribuinte que paga seus tributos em dia está com raiva, porque faz, não raro, o papel de otário. Um novo exemplo é a medida provisória 212/2017, do Executivo estadual, que cria um programa de refinanciamento de dívidas dos contribuintes, o chamado Prefis-SC, que propõe redução de juros e multas, com descontos entre 50% a 90%.

Dano coletivo
O Superior Tribunal de Justiça começou a analisar se o dano moral coletivo é decorrência lógica da violação de direitos ou interesses coletivos ou se, em sentido contrário, não há caracterização quando sem demonstração efetiva do prejuízo. A discussão vem de ação em que a Brasil Telecom (depois adquirida pela Oi), foi condenada pela Justiça Federal de SC a pagar R$ 500 mil por fechar uma loja em Lages. Ela diz que não houve a comprovação de dano ou sofrimento causado à coletividade e, por isso, questiona a indenização.

Dietéticos
Foi aprovado em comissão, semana passada, e agora pronto para deliberação no plenário do Senado, projeto do senador Dário Berger (PMDB-SC) obrigando mercearias, supermercados, hipermercados e estabelecimentos similares a implantar uma gôndola exclusiva para produtos dietéticos.

DETALHES
Antes que alguém mais pergunte: nunca nenhum dos jornais onde esta coluna é publicada, censurou ou pediu para censurar qualquer nota, por mais contundente que fosse. Este espaço tem orgulho em dizer, publicamente, que tem indescritível liberdade, autoridade e felicidade de escrever o que pensa.

O Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria, de Joinville, será o primeiro hospital público de SC a oferecer uma ala de internação exclusiva para pacientes psiquiátricos. A primeira etapa das obras está em fase de conclusão.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio