Governo divulga balanço parcial do turismo em Santa Catarina nesta temporada

Até o momento, circularam pelo estado cerca de 5,5 milhões de turistas, incluindo catarinenses, estrangeiros e pessoas de outros estados do Brasil

Governo divulga balanço parcial do turismo em Santa Catarina nesta temporada

Até o momento, circularam pelo estado cerca de 5,5 milhões de turistas, incluindo catarinenses, estrangeiros e pessoas de outros estados do Brasil

Um balanço parcial da temporada de verão aponta para uma temporada movimentada em Santa Catarina. Segundo dados do governo do estado, até o momento, circularam pelo estado cerca de 5,5 milhões de turistas, incluindo catarinenses, estrangeiros e pessoas de outros estados do Brasil. A Operação Veraneio registrou 39 mil ocorrências policiais, de dezembro de 2015 a janeiro de 2016, 4,5% a menos em relação ao ano passado, e 177 afogamentos em água doce e salgada.

Os turistas estrangeiros são, principalmente, da Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai. Já os nacionais são do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e Minas Gerais. Eles são os responsáveis pela ocupação hoteleira do Litoral entre 80% e 100%, em média. Somente no Réveillon, a ocupação chegou a 97% e, ao longo de janeiro, a média foi de 85%.

Na Serra, a ocupação foi de quase 100% na rede hoteleira nas festas de fim de ano, com destaque para a presença de norte-americanos e alemães. Em janeiro, a média chegou a 70%. Na região de águas termais, a exemplo de Piratuba e Itá, que foram grandes destaques na ocupação, com 100% nas duas primeiras semanas de janeiro.

Segurança

Em Florianópolis, o número de ocorrências de 1º a 29 de janeiro foi de 174, apresentando uma redução de 22,7% se compararmos com as 225 ocorrências durante o mesmo período em 2015. As cidades litorâneas de Balneário Camboriú, Bombinhas, Garopaba e Itapoá, por exemplo, onde há a maior concentração de pessoas devido à temporada de verão, não apresentaram homicídios no mês de janeiro de 2016.

Entre dezembro de 2015 e janeiro de 2016, o total de atendimentos via 190 foi de 211 mil ligações. Um número 15,6% maior em relação ao ano anterior, que chegou a 182 mil. Embora o número de ligações, por meio do 190 ter sido maior, o de ocorrências foi 4,5% menor (39 mil) em relação ao mesmo período do ano anterior (41 mil).

Para o secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, essa temporada está sendo uma das melhores dos últimos anos. “Não tivemos crimes de grande repercussão e os casos de roubos e furtos registrados estão dentro da normalidade. Isso graça as forças e o reforço que recebemos na operação veraneio”, disse.

A Operação Veraneio movimenta sete mil agentes, entre policiais militares e civis, bombeiros militares e técnicos do Instituto Geral de Perícias (IGP), atuando no Litoral e no interior do Estado, em praias, balneários e estâncias hidrominerais. Ao todo, são monitorados 175 balneários com atuação de 300 guarda-vidas militares e 1.362 guarda-vidas civis.

Até o último final de semana de janeiro, o Corpo de Bombeiros Militar registrou 177 afogamentos, tanto em água salgada como em água doce. Desse total, 27 vieram a óbito por afogamento no mar ou praias e cinco em rios, cachoeiras ou açudes.

Abastecimento de água

O consumo de água no período entre o Natal e Ano-Novo aumentou em 30% em toda a Ilha de Santa Catarina, chegando a 80% somente na costa norte de Florianópolis. Segundo o presidente da Casan, Valter Gallina, esse consumo se manteve até o final de janeiro. “No Réveillon 2014/2015, o consumo era de 1.050 litros por segundo e, nessa temporada, chegamos a 1400, o que se mantém até hoje”, explicou.

Balneabilidade

As análises da Fundação do Meio Ambiente (Fatma) em 211 locais são feitas semanalmente durante a temporada de verão. Segundo o último relatório emitido pelo órgão nesta sexta-feira, 5 de fevereiro, 123 pontos analisados estão próprios para banho. Em Florianópolis, 41 estão em boas condições para banho e 34 estão impróprios. Nas demais regiões do Litoral, 82 estão próprios e 54 pontos devem ser evitados pelos banhistas. As análises foram feitas nos dias 1º, 2 e 3 de fevereiro. Este é o quinto relatório de 2016 e sétimo da temporada.

O diretor de Proteção dos Ecossistemas, Márcio Luiz Alves, explicou que os valores se mantêm durante essa época do ano. “No verão temos esse cenário tradicionalmente e em outras épocas do ano, há uma melhora devido ao menor número de chuvas e de turistas”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio