Operação desarticula quadrilha de tráfico de drogas

Foram cumpridos 17 mandados de busca e de prisão em quatro cidades da região

Operação desarticula quadrilha de tráfico de drogas

Foram cumpridos 17 mandados de busca e de prisão em quatro cidades da região

Uma operação conjunta entre as polícias civil de Brusque, Gaspar, Itajaí, Balneário Camboriú, os canis de Joinville e Blumenau e a Polícia Militar de Brusque e Gaspar desarticulou uma quadrilha de tráfico de drogas na manhã de segunda-feira, 25. Pela madrugada, os agentes cumpriram nove mandados de prisão e oito mandados de busca e apreensão domiciliar. Mais de dois quilos de crack, 400 gramas de cocaína e maconha, além de mais de R$ 10 mil e celulares foram apreendidos. Ao todo, entre testemunhas e pessoas que não ficaram detidas, 21 foram conduzidos à delegacia.

Há mais de dois anos não havia uma operação deste calibre em Brusque. O delegado Alex Bonfim Reis – da Divisão de Investigações Criminais (DIC), que comandou a operação – afirma que a investigação começou depois de algumas prisões feitas por aqui. Os indícios levaram até a família Cardoso, em Gaspar. O volume de drogas apreendido não é tão grande porque o modo de operar da quadrilha era manter os entorpecentes enterrados. “De certa forma, tivemos sorte de encontrarmos um quilo de crack com o Sebastião”, diz Reis.

Segundo o delegado, os trabalhos duraram três meses. Neste período, foram feitas campanas e grampos telefônicos com o objetivo de identificar todos os membros da quadrilha. Como o grupo era muito organizado, os líderes da família Cardoso, não davam muitas chances de serem pegos. Por exemplo, eles nunca falavam explicitamente sobre drogas ao telefone. A saída encontrada pela polícia foi mirar nos “vendedores”. E a estratégia deu resultado.

Sebastião Altamir Cardoso, conhecido como Taime, é apontado como o líder do grupo, com a esposa dele, Jussara Bazi, a Sara, sendo o braço direito. Eles foram presos em Barra Velha. “Era uma quadrilha formada por uma família de traficantes que atuava em Brusque e outras cidades. Eles compravam a droga e criavam pequenas bocas para vender a droga. Era extremamente lucrativa e tinha uma cadeia de comando. Tinha uma cobrança quase funcional, inclusive de produtividade e de horários.”, diz Reis.

Além do casal líder da quadrilha, foram presos: a irmã de Taime, Noeli Aparecida Cardoso Ferrari, de apelido Magali, e o marido dela, Luciano Decker, conhecido como Caioba, no bairro Barracão, em Gaspar; outra irmã de Taime, Claudina Aparecida Cardoso, a Dina, e o esposo dela, Jocimar Garcia Binn, o Joci, em Balneário Camboriú; Greice Boska, em Piçarras; Jhenifer de Cuffa Sampaio, em Gaspar; e Elton Borges Ferreira, vulgo Toel, em Balneário Camboriú. Este último estava foragido da justiça e tem laços com uma facção criminosa.

De acordo com a investigação da DIC de Brusque, Taime comprava as drogas e fornecia às irmãs, Noeli e Claudina. Cada uma delas tinha o seu próprio ponto de venda, com seu próprio pessoal para distribuição de drogas. “É uma operação de grande vulto que teve um resultado muito positivo. Pincipalmente pela quantidade de drogas apreendidas, mais de um quilo só em crack. Esta era uma quadrilha que atuava em várias cidades, mas principalmente na divisa de Brusque e Gaspar. Esperamos que a criminalidade nestas áreas diminua”, afirma o delegado.

Cerca de 55 agentes participaram da operação, sendo 23 deles da PM de Brusque. De acordo com o delegado, não houve resistência por parte dos criminosos no momento das prisões. “Foi uma operação muito tranquila, porque o planejamento foi bem feito”, comenta Reis. A princípio eles serão denunciados por associação para o tráfico, corrupção de menores e tráfico de drogas, e alguns deles por facilitação à prostituição, afirma o delegado. Outros tipos de crime poderão ser adicionados à denúncia. Além disso, a polícia está levantando os bens e imóveis da quadrilha para pedir o bloqueio à justiça.

 

Mais dois presos

No fim da noite de segunda-feira, 25, a Polícia Civil prendeu mais um casal com 1,5 quilo de crack. Ruan Ribeiro Wittes dos Santos, 18, e sua companheira, Franciele Piranga Valverde, 25, também faziam parte da quadrilha de traficantes.

 

>> Mais informações na edição de terça-feira, 26, do jornal impresso

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio