Grupo de estudantes alemães chega a Brusque e Guabiruba

Os 13 intercambistas permanecem na região até o dia 2 de novembro

Grupo de estudantes alemães chega a Brusque e Guabiruba

Os 13 intercambistas permanecem na região até o dia 2 de novembro

Estreitar os laços entre Brasil e Alemanha é um dos objetivos do intercâmbio juvenil promovido pela Prefeitura de Brusque em parceria com o município de Guabiruba e a Unifebe. Nesta edição, participam do intercâmbio 13 estudantes – faixa de idade entre 16 e 21 anos – da região de Karlsruhe, que chegaram ontem em Brusque. Eles permanecem na região até o dia 2 de novembro.

Esse é o segundo grupo que vem da Alemanha para a região. O intercâmbio faz parte do tratado assinado em 2011 entre a Prefeitura de Brusque e Karlsruhe para a troca de relações comerciais e culturais. “A importância do intercâmbio é o resgate cultural. Eles terão a possibilidade de encontrar pessoas com o mesmo sobrenome, criar vínculos com descendentes de famílias oriundas da sua região que colonizaram Brusque. É uma oportunidade ímpar, uma troca de experiências e conhecimento”, ressalta a secretária de Educação, Gleusa Fischer.

O secretário de Educação Distrital de Karlsruhe, Bernhard Böser, que acompanha a comitiva durante o período no Brasil, relata sobre as principais curiosidades que os alemães têm em relação ao Brasil. “Eles têm conhecimento que o Brasil é um país exótico. A intenção deles é conhecer como as pessoas aqui vivem, como é a vida dos jovens, seus hábitos noturnos, se saem com amigos, o tipo de música que ouvem, quais são as expectativas desses jovens quanto ao mercado de trabalho”, diz ele, afirmando que a principal diferença sentida até o momento é em relação ao clima: a estação nesse período na Alemanha é o inverno.
Receptividade

Os alemães ficam hospedados na casa de estudantes que participaram do intercâmbio para a região de Karlsruhe em junho. Uma delas é Melissa Rafael Winter, que descreve a experiência como única. “Conhecemos diversos lugares. O modo como eles vivem é diferente do daqui. A cultura é muito interessante. A comida é diferente. Fiquei na casa da família da Djurdja que tem um modo de vida muito interessante e agora estamos recebendo ela aqui”.

A mãe de Melissa, Iolanda Winter, comenta que está animada com a estadia da alemã em sua residência. “É uma experiência muito boa tanto para ela quanto para nós. É um passo para conhecermos uma nova cultura e para trocarmos experiências”.

A intercambista Djurdja Lliv se diz curiosa para conhecer a região e explorar, principalmente, uma cachoeira. Além disso, ela pretende visitar praias e shoppings.

Em Guabiruba
Dos 13 intercambistas, cinco ficam em famílias de Guabiruba. A secretária de educação do município, Edna Maria da Silva Jasper, explica que entre as atividades está programado um passeio ecológico até o morro São José, além de visitas a locais na própria cidade. “Este intercâmbio é uma forma de valorização da nossa cultura, já que também temos a descendência alemã. Isso só vem a acrescentar tanto para a cidade quanto para o intercambista”, relata Edna.

Atividades
Diversas atividades estão programadas durante os 11 dias de intercâmbio, como visitação ao parque das Esculturas, parque Unipraias, em Balneário Camboriú, visitarão também Florianópolis, farão atividades em Pomerode e apreciarão a Oktoberfest em Blumenau. Também há atividades educacionais como visita a Unifebe. Gleusa afirma que uma das curiosidades dos intercambistas é quanto ao sistema de ensino no Brasil e o mercado de trabalho. “Na Alemanha, os jovens permanecem na escola até mais tarde e já saem da rede com um curso profissionalizante.

Existem algumas semelhanças entre a educação alemã e a nossa, mas, uma das diferenças que chama a atenção e que surpreende aos jovens alemães, é quão cedo os nossos jovens entram no mercado de trabalho”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio