Guabiruba terá primeiro casamento coletivo

Cerimônia com 30 casais ocorre em dezembro. Inscrições seguem até o fim deste mês

Guabiruba terá primeiro casamento coletivo

Cerimônia com 30 casais ocorre em dezembro. Inscrições seguem até o fim deste mês

O sonho do matrimônio está cada vez mais perto de Aline Andrade de Oliveira, de 24 anos e Jean Marcos Ribeiro da Maia, 22; e de Cristiana Carrezzia, 24 anos e Denis Rodrigo Ebel, 21. Com o casamento coletivo que ocorre em dezembro pela primeira vez em Guabiruba, estes casais poderão oficializar a união.

Ribeiro diz que há quatro anos mora junto com Aline, porém, não possuem nenhum documento que comprove o relacionamento. Para ele, o casamento coletivo é a oportunidade de realizar o que já era planejado há muito tempo. “Nós não temos muitas condições e assim é o jeito mais fácil de casar. Estamos muito felizes”. Ele ainda conta que os preparativos já começaram. “Já escolhemos os padrinhos. Agora só falta a festinha”, diz.

Para Cristiana, o casamento coletivo também chegou em boa hora. Ela está junto com Denis há três anos e conta que o amor que sentem um pelo outro fez com que resolvessem oficializar a relação. “Veio num bom momento, já que estamos numa situação que não está sobrando dinheiro. Aproveitamos a oportunidade e agarramos”. Cristiana diz que está ansiosa para que chegue dezembro. “Comprarei um vestido e faremos uma festinha almoço no dia”.
Expectativas superadas

São 30 vagas para os casais de Guabiruba e as inscrições encerram no dia 30 deste mês. Elas podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h. No entanto, a assessora do gabinete, Ana Maria de Souza, acredita que as vagas serão preenchidas antes do tempo. Na sexta-feira passada, 4, cinco casais já haviam se inscrito e realizado a habilitação no cartório e dez buscaram informações para providenciar a documentação.

Por ser a primeira vez que acontecerá o casamento coletivo na cidade, a assessora afirma que as expectativas foram superadas. “Estamos contentes com a procura e faremos uma cerimônia bonita para que tenham uma recordação deste dia”. Segundo ela, após o prazo, se a demanda for grande, a prefeitura abrirá novo edital, com data a ser definida. Ana Maria também explica que não há custos ao casal, que precisa declarar sob pena de lei não ter condições financeiras.

A registradora civil do casamento, do Cartório Civil de Guabiruba, Franciane Della Giustina Moura, diz que o objetivo da ação é regularizar a situação civil das pessoas que vivem em união estável. Ela explica que o processo do casamento acontece normalmente, como qualquer outro, porém, ao invés de ter a celebração individual, acontece com todos os casais. Franciane explica que em cerca de uma hora todas as uniões deverão ser oficializadas. “Será um prazer poder regularizar essa situação, que muitas vezes por desconhecimento e falta de condição financeira faz com que os casais deixem de fazer”.
Cerimônia

O casamento coletivo acontece no dia 6 de dezembro, às 10 horas, na Sociedade Recreativa Guabirubense.
Brusque

Já em Brusque, o casamento coletivo ocorre neste sábado, 12, às 16 horas, no teatro do Centro Empresarial, Social e Cultural. Ao todo serão 35 casais que poderão oficializar a união, por meio da parceria da Associação Empresarial de Brusque (Acibr) com o Cartório de Registro Civil.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio