Havan propõe projeto para colocar Brusque na Série B do Brasileirão em cinco a dez anos

Empolgado com campanha deste ano, empresário Luciano Hang diz que clube pode sonhar mais alto

Havan propõe projeto para colocar Brusque na Série B do Brasileirão em cinco a dez anos

Empolgado com campanha deste ano, empresário Luciano Hang diz que clube pode sonhar mais alto

Durante a cerimônia de entrega da taça do Campeonato Catarinense de 2017, na tarde desta segunda-feira, 24, o empresário Luciano Hang, dono da Havan, principal patrocinadora do Brusque Futebol Clube, falou sobre a intenção de montar um plano de negócios para a equipe, com vistas a elevar o status do clube no cenário nacional.

O empresário explicou que ficou muito satisfeito com o desempenho da equipe este ano, e que o clube pode sonhar mais alto.

Segundo ele, com planejamento, como fez a Chapecoense, o clube pode melhorar sua qualificação e chegar à Série B do Campeonato Brasileiro, em um período de cinco a dez anos.

Para isso, segundo o empresário, é preciso traçar metas e manter times competitivos, assim como colocar em prática um plano de sócios. Para ele, ter estádio cheio é o que motiva o patrocinador, o qual por sua vez alavanca o clube com investimentos.

“Com os parceiros que nós temos hoje, [podemos] montar um projeto empresarial de cinco a dez anos, que nós possamos sonhar em ter o Brusque na Série B do campeonato nacional. Não na Série A, no primeiro momento, mas fazer um time junto com parceiros que nós já temos”, disse Hang.

O empresário se espelha no modelo da Chapecoense, que focou em ir subindo até chegar à Série A, e conseguiu seu objetivo.

“Por que Brusque, com o poderio empresarial que nós temos, não poderia fazer uma empresa esportiva que leve o nome da nossa cidade e sonhar com a Série B?”, questiona o empresário.

Segundo ele, a ideia já foi conversada com o presidente do Brusque, Danilo Rezini, que estava presente na cerimônia, e uma reunião será marcada para colocar o projeto no papel

Novo estádio
Questionado se apoia a ideia de um novo estádio para o Brusque, já que o Augusto Bauer mostrou-se pequeno para jogos de maior expressão, Hang avaliou que ainda é cedo para isso.

“Sou muito propenso a melhorar o Augusto Bauer, fazer um projeto de novas arquibancadas. Temos primeiro que sonhar com o Brusque disputando campeonatos fortes, para trazer grande volume de torcedores,, e aí talvez sonhar em melhorarmos” diz.

“O estádio atual caberia arquibancadas pré-moldadas de aço ou concreto, daria para colocar 10 mil pessoas, acho que é o suficiente. Depois a gente vai aumentando o estádio baseado nas conquistas que possamos ter”, conclui o empresário.

Havan entrega taça do Campeonato Catarinense

A Havan entregou oficialmente na tarde desta segunda-feira, 24, a taça do Campeonato Catarinense de Futebol à Federação Catarinense de Futebol (FCF).

O desenho da taça leva a estátua da liberdade – símbolo da Havan, que é patrocinadora do campeonato. A taça, de 90 centímetros de altura, foi produzida com resina de poliuretano, acrílicos cortados a laser e inox polido e escovado.

Taça e medalhas que serão entregues aos finalistas do Catarinense – Foto Marcelo Reis

A taça foi elaborada pela empresa Zanoello Troféus e Medalhas, de Lages, traz também uma homenagem às vítimas da tragédia envolvendo a Chapecoense, cuja delegação quase inteira morreu em acidente aéreo, em novembro passado.

Os nomes das 71 vítimas do acidente está registrado em placas que foram fixadas na base da taça. Lá estão os nomes dos jogadores, comissão técnica e jornalistas que acompanhavam o Verdão do Oeste.

Segundo a Havan, isso “faz com que os guerreiros sejam lembrados e imortalizados por meio desta homenagem”.

“A gente fica lisonjeado de estar presente e patrocinar. É o nome da nossa cidade levado para o estado todo”, afirma Luciano Hang, dono da Havan.

Nome das vítimas da tragédia envolvendo a Chapecoense foi gravado na taça – Foto Marcelo Reis

A taça foi entregue ao presidente do Brusque, Danilo Rezini, que representou a presidência da FCF, a qual está em viagem no Chile, onde acompanha a delegação da Chapecoense na Copa Libertadores.

“Em nome da federação, parabenizo toda a família Havan por essa determinação, essa coragem de estar presente no esporte”, disse Rezini.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio