Homem é condenado a nove anos de prisão por três tentativas de homicídio

Condenado ainda responde por mais uma tentativa de homicídio que não foi julgada

Homem é condenado a nove anos de prisão por três tentativas de homicídio

Condenado ainda responde por mais uma tentativa de homicídio que não foi julgada

O Poder Judiciário divulgou na tarde desta quinta-feira, 26 de julho, mais uma condenação do Tribunal do Júri. Cristoffer Hopen Schenkel foi condenado a nove anos, sete meses e seis dias de reclusão em regime fechado, por tentativa de homicídio qualificado por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa das vítimas na forma continuada (artigo 121, § 2º, incisos I e IV, c/c artigo 14, inciso II e artigo 71 – caput – por três vezes, do Código Penal).
 
Schenkel não compareceu ao julgamento, pois recebeu o direito de responder em liberdade quando foi anunciada a sentença de pronúncia e mudou-se de endereço, se deslocando para um local ainda desconhecido.

A Lei 11.689/08 permite a realização do julgamento sem a presença física do réu. De acordo com a sentença, a prisão de Schenkel é necessária para garantir a ordem pública, pois depois de colocado em liberdade já praticou o mesmo crime mais uma vez. Ele é acusado de tentativa de homicídio contra Phillipe Schaadt Brehm, em agosto de 2011. Ele não recebeu o direito de recorrer em liberdade. 


Relembre o caso


A tentativa de homicídio aconteceu na madrugada de 11 de abril de 2010. O condenado Cristoffer Hopen Schenkel estava no Auto Posto São Lucas, localizado na rodovia Antônio Heil, acompanhado de sua esposa e de outras três pessoas, e se envolveu em uma briga com a vítima Jocemar Sophiatti e com um frentista do posto.

Depois de algum tempo, ele se retirou do posto, mas teria prometido retornar. Como prometido, o acusado voltou ao posto, saiu do carro portando uma arma de fogo e abordando Gilson Rodrigues de Oliveira, na época segurança do estabelecimento, e perguntando por dois homens. 

Na sequência, Schenkel se dirigiu se dirigiu à loja de conveniência, e da porta desferiu vários disparos em direção à loja. Um dos tiros atingiu Sophiatti. Na sequência, Schenkel golpeou Gilson com uma coronhada na cabeça, e quando o segurança se dirigiu para a loja o acusado voltou a atirar desta vez vontra Gilson, atingindo as costas do homem. Depois disso, quando se preparava para ir embora do local, foi visto pelo dono da loja de conveniência, Valdir Fachi, e voltou a atirar, fazendo a terceira vítima. 
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio