Homem é preso com armadilhas para captura de animais e armas de fogo

Polícia Militar Ambiental e fiscais do ICMBio encontraram equipamentos em sítio no bairro Areia Alta

Homem é preso com armadilhas para captura de animais e armas de fogo

Polícia Militar Ambiental e fiscais do ICMBio encontraram equipamentos em sítio no bairro Areia Alta

Eraldo Domingos Bosio, de 54 anos, foi preso em flagrante por crime ambiental e posse ilegal de armas de fogo na última sexta-feira, 3. A Polícia Militar Ambiental e fiscais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) encontraram em sua propriedade, localizada no bairro Areia Alta, em Botuverá, diversas armadilhas para animais e duas espingardas, calibre 28 e 36, ambas sem registro.

De acordo com Mario Sérgio de Oliveira, analista ambiental do ICMBio, a propriedade fica próxima da divisa entre Botuverá e Vidal Ramos e pertence ao Parque Nacional da Serra do Itajaí, área de preservação que engloba nove municípios da região. A princípio, os fiscais viram no sítio de Bosio apenas duas gaiolas com pássaros silvestres da espécie Gaturamo, a partir daí, foram feitas buscas pelo local onde encontraram as espingardas, diversas armadilhas, oito apitos de madeira e um de plástico, usados para atrair as aves pelo som, cartuchos e munições para as armas de fogo.

“Uma das armas encontramos escondida em um compartimento dentro da casa, mas o que mais nos impressionou mesmo foi a quantidade de armadilhas que localizamos na propriedade. Muitas delas eram tão sofisticadas que nós, pesquisadores dos ramo ambiental, nem sabíamos que existiam. Além disso, ele tinha caixas de som e um cartão de memória com diversos sons de diferentes espécies de pássaros, que podem muito bem ser usados para a captura ilegal de aves silvestres”, revela Oliveira.

No sítio de Bosio também foi encontrado um armamento conhecido como “canhãozinho”, que é uma armadilha artesanal que deixa um fio no chão e assim que algo tropeça ou passa pelo local aciona um dispositivo que dispara um tiro, podendo matar ou ferir gravemente bichos ou pessoas. Oliveira lembra que em outubro de 2014 um homem morreu em Apiúna depois de cair em uma armadilha igual a essa.

“Com todo o equipamento de captura encontrado nesse sítio, fica evidente que ali existe o comércio ilegal de animais silvestres. E o tráfico de espécies protegidas é crime”, explica o analista da ICMBio. “O local a gente esteve não é muito conhecido pela equipe de fiscalização. Fizemos uma pesquisa com moradores daquela região e ficamos sabendo que existem muita ocorrências de caça, por isso, já estabelecemos que fiscais vão realizar vistorias com maior frequência”, completa.

Os fiscais descobriram o sítio durante uma operação realizada pela ICMBio para conferir áreas de desmatamento, que já estavam sendo monitoradas via satélite. Durante a ação, funcionários da entidade, acompanhados pela Polícia Militar Ambiental, percorreram por toda aquela região e encontraram essas irregularidades no segundo dia de vistoria. Assim que as armadilhas e as armas foram descobertas, Bosio foi preso e encaminhado à delegacia de Polícia Civil. Ele deve pagar em até 20 dias uma multa de aproximadamente R$ 2 mil ao instituto, visto que o crime foi pratica em área de preservação ambiental.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio