Homem que aplicava golpe do ensaio sensual é identificado

Investigação revela que ele fingia ser três pessoas diferentes para ter relações sexuais com as vítimas

Homem que aplicava golpe do ensaio sensual é identificado

Investigação revela que ele fingia ser três pessoas diferentes para ter relações sexuais com as vítimas

Um homem de 34 anos foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil de Brusque na sexta-feira, 17, suspeito de aplicar golpes em modelos da região. Ele foi identificado pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú, que cumpriu mandado de busca e apreensão na sua casa, no bairro Nova Brasília. O estelionatário confessou o crime e revelou que fazia isso com a intenção de ter relações sexuais com as jovens.

“Como não houve flagrante, o suspeito foi encaminhado para delegacia de Brusque, onde foi interrogado e liberado”, explicou o delegado Osnei de Oliveira, da DIC de Balneário Camboriú. Os agentes encontraram na casa dele aparelhos celulares, filmadoras e pendrives que serão analisados pelos policiais.

As vítimas são modelos fotográficas da região e recebiam um convite de uma suposta agência de modelos de São Paulo para realizar trabalhos em uma empresa conhecida de Blumenau. Para enganar as jovens, o golpista se passava por três pessoas ao mesmo tempo, relatando ser funcionário da agência de São Paulo, dono da empresa de Blumenau e uma modelo que teria sido contratada pela agência. Os golpes eram realizados via Facebook e WhatsApp, facilitando a ação do investigado para esconder a farsa.

Oliveira destaca que uma das vítimas relatou para os policiais que ele também se passava por um influente diretor de televisão da Rede Globo. Além disso, ele utilizava nomes de empresários da região para ganhar a confiança das modelos e de suas famílias para então contratá-las. As jovens eram submetidas a ensaios sensuais onde o investigado cometia atos obscenos.

Os agentes identificaram diversos hotéis e pousadas que teriam sido vítimas do suspeito. Após reservar e utilizar os locais para os ensaios fotográficos, o golpista fugia sem pagar os valores da hospedagem. A Polícia Civil ainda apura se outras pessoas estariam envolvidas no golpe praticado pelo suspeito, que possui diversos indiciamentos pela prática de estelionato, inclusive tendo sido preso em 2012.

Suspeito está envolvido em vários casos de estelionato

Essa não é a primeira vez que ele pratica o crime de estelionato. Em fevereiro de 2012, ele foi preso depois fingir ser um agenciador de modelos, mesmo golpe pelo qual está sendo investigado agora.

No mesmo ano, ele foi acusado de enganar uma idosa de 61 anos. Ela fazia doces e salgados para complementar a renda, quando o golpista fez uma encomenda em nome de um empresário brusquense. Ao buscar a mercadoria, ele entregou um recibo dizendo que ela deveria cobrar diretamente na empresa. Ao chegar lá, a professora aposentada descobriu a farsa e acabou no prejuízo.

Ele já foi condenado por estelionato em outros casos, como em novembro de 2010, quando ele fingiu ser jogador de futebol do Figueirense e levou dois aparelhos celulares de uma arquiteta de Balneário Camboriú. Em dezembro do mesmo ano, ele se passou por fiscal da Receita Federal, afirmando que faria uma revisão nos valores da aposentadoria de uma senhora. No entanto, ele alterou a senha do cartão da vítima e sacou R$ 12 mil da conta.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio