Homem usa bombeiros para dar golpe

Golpista diz que é vistoriador e vende extintores adulterados

Homem usa bombeiros para dar golpe

Golpista diz que é vistoriador e vende extintores adulterados

Representantes do Corpo de Bombeiros de Guabiruba e de empresas de extintores da região reuniram-se ontem de manhã para tratar do golpista que se passa por profissional de vistorias para vender os próprios produtos. De acordo com o Cabo Luciano Schilindwein, amanhã a corporação registrará um boletim de ocorrência na Polícia Civil. O nome de um suspeito já foi levantado e extintores adulterados servirão como prova.
A identificação era o empecilho que impedia a investigação do caso, segundo Américo Ferreira, responsável pela delegacia de polícia de Guabiruba. O golpe já é registrado no município há mais de um ano, segundo Rose Guerreiro, proprietária da Brusfogo, uma das lesadas. Porém, só agora ganhou mais força porque o Corpo de Bombeiros passou a ser vítima também. A Brusfogo já tinha registrado um boletim de ocorrência há alguns meses, mas a investigação não andou. “Eles (policiais) falaram que não adiantava abrir inquérito”, diz Rose. Ela diz que conhece o golpista e sabe o nome.

No caso do Corpo de Bombeiros, o homem entra em contato com o empresário dono de um estabelecimento comercial e diz que fará a vistoria. Ele aproveita a oportunidade e vende extintores que ele mesmo possui. Os bombeiros emitiram um alerta à população deixando claro que não entram em contato com ninguém para fazer vistoria. Os militares não souberam informar o número de vítimas.
Antes de usar o nome do Corpo de Bombeiros, o golpista já “trabalhava” passando-se por funcionários de outras empresas de extintores, como a Brusfogo. “Somos vítimas porque temos uma empresa com registro e tudo certo e ele vai nas empresas e diz que trabalha para gente para mexer nos extintores”, diz Rose, da Brusfogo. Além de se passar por uma outra pessoa, ele ainda lesa os clientes cobrando mais e coloca a segurança do local em risco adulterando os extintores.

Segundo o relato de Rose, a tática utilizada pelo golpista é ir até o estabelecimento comercial e olhar no rótulo do extintor o nome da empresa que fornece o serviço ali. Então, ele fala que trabalha para a tal companhia e pega o objeto. O risco à segurança vem nesta parte. A reciclagem anual de extintores deve ser feita obedecendo padrões, só que o golpista não faz nada, ele simplesmente muda o lacre.

A Aviamentos Guabiruba foi uma das lesadas pelo homem. Samla Fischer, atendente, diz que ele foi ao estabelecimento cerca de três meses atrás. “Ele chegou e disse que trabalhava para a Brusfogo e trocou tudo. Aí o funcionário da Brusfogo veio aqui depois de um tempo e viu que ele, na verdade, mudou somente um adesivo. Não trocou a carga”, diz Samla. O valor cobrado pelo serviço foi R$ 80.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio