Prancheta - Cristóvão Vieira

cristovao@omunicipio.com.br

Hora da lição de casa do Brusque

Prancheta - Cristóvão Vieira

cristovao@omunicipio.com.br

Hora da lição de casa do Brusque

Prancheta - Cristóvão Vieira

A campanha do Bruscão é bastante irregular neste Campeonato Catarinense, mas por incrível que pareça, devido a resultados alheios, o time depende muito mais de si do que dos outros nas próximas rodadas para alcançar o G-4 do estadual. O Marcílio Dias, até então sensação do campeonato, estacionou e já está há três rodadas sem vencer. O próximo confronto do Bruscão é justamente com o Marinheiro.

Mas para alçar voos mais altos o time do técnico Marcelo Caranhato precisa fazer a lição de casa. São dois jogos cruciais nas próximas rodadas, sendo ambos no Augusto Bauer, o alçapão quadricolor. No sábado o adversário é o Marinheiro, que não terá seu principal jogador, o volante Luanderson, que foi expulso – o Brusque, por sua vez, não terá o zagueiro Ianson, que recebeu o terceiro cartão amarelo. A rodada seguinte será contra o Criciúma.

Veja também:
Processo de falência mais antigo de Brusque tramita há mais de 20 anos 

Prefeitura de Brusque faz levantamento da obra de duplicação da Antônio Heil 

“Está arrependido e quer pedir desculpas”, diz advogado de jovem que agrediu mãe e filha

 

A cota de erros do Brusque acabou, caso o time queira mesmo algo a mais na competição. Uma derrota fora de casa contra o Figueirense é bastante aceitável, devido à boa fase do time da capital. O que não se aceita são as circunstâncias da derrota, com gols sofridos por apagão da defesa e uma falta de criatividade sem fim por parte do setor de ataque. A equipe precisa de mais concentração para dar alegrias ao torcedor.

O próprio Caranhato não escapa das críticas na derrota contra o Furacão. O técnico demorou a mexer no time, fez apenas duas substituições e chegou a colocar um atleta faltando 30 segundos para o jogo acabar – Gustavo não tocou na bola. Que as lições sejam tomadas, para que o Bruscão aprenda com os erros e, na hora da prova final, consiga a nota 10.

Passe Livre tem boa aderência

Irmãos Alan Ferreira Barroso e Williame Ferreira Barroso fizeram o plano Premium. Foto: Divulgação / Brusque FC

O programa Passe Livre, pacote promocional de ingressos para os jogos do Brusque, vem conquistando cada vez mais adeptos, segundo a equipe de marketing do Brusque. De acordo com Sandro Ortiz, o procedimento registra procura todos os dias, com aumento gradativo de aderência. Recentemente o clube registrou o contrato dos irmãos Alan Ferreira Barroso e Williame Ferreira Barroso no plano Premium.

Como aderir
Para fazer parte do Passe Livre e evitar filas, além de ter ingressos mais baratos e outros benefícios, há uma profissional atendendo no horário das 9h às 13h na secretaria do clube, que é dentro da Arena Brusque. Há planos desde R$ 20 mensais até R$ 99,90, com mudanças nos setores e benefícios. Para mais informações, o contato é 999-810-108.

Metrô de licença?
Informações da imprensa estadual dão conta de que o Metropolitano, de Blumenau, estaria prestes a pedir licença do futebol profissional para a Federação Catarinense de Futebol. Atuamente lanterna do campeonato, com uma vitória em sete jogos, o clube passa por dificuldades financeiras e seu segundo rebaixamento consecutivo parece ser questão de tempo.

Amador começa com tudo
Chuva de gols e poucas surpresas na abertura do Campeonato Municipal de Futebol Amador de Brusque, neste fim de semana. Já largam se credenciando a favoritos para classificação o trio Paysandú, Santos Dumont e América. Destaque para o jogão entre Cia do Esporte e Abresc/JK Motos/Zé Melo, que terminou equilibrado no empate em 2 a 2.

Veja também:
Nova pizzaria funcionará na avenida Otto Renaux

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Acidente no ribeirão Garcia mata Willy Wendelich, do Rancho do Willy

Emoção no basquete brusquense
Foi por apenas quatro pontos a importantíssima vitória do Brusque Basquete diante de São José dos Pinhais, e com este resultado a equipe larga da melhor maneira possível no Brasileiro de Clubes: vencendo adversário fora de casa. Sinal de que a mudança de estratégia e melhoria no planejamento já colheu seu primeiro fruto. Há ainda longa caminhada pela frente, porém.

Símbolo de ponta-cabeça

Foto: Arquivo particular da família Hoffmann

Na sessão Memória do Esporte de hoje, destacamos uma curiosidade da primeira edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), em 1960. O símbolo olímpico, que pode ser visto no alto do portal de entrada da sede da Sociedade Esportiva Bandeirante, estava de ponta-cabeça. O erro só foi observado depois do término da competição. A situação, é claro, não tirou o brilho da primeira vez que os municípios do estado se reuniram na aprazível Brusque da década de 60 para o grande encontro do esporte.