Horário de verão começa à zero hora deste domingo, 16

Segundo Celesc, medida deverá gerar economia de 4,5% no estado

Horário de verão começa à zero hora deste domingo, 16

Segundo Celesc, medida deverá gerar economia de 4,5% no estado

O horário de verão tem início a partir da zero hora de domingo, 15. A medida visa à economia de energia elétrica e será aplicada em todos os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A estimativa é que sejam economizados R$ 147,5 milhões com a hora a mais no relógio.

De acordo com a Celesc, a economia deve ser de 4,5% em Santa Catarina. O gerente regional da companhia, Cláudio Varella, explica que esse montante de eletricidade é o suficiente para abastecer uma cidade do tamanho de Gaspar (58 mil habitantes) por 30 dias.

Do ponto de vista da companhia, o principal benefício é a diminuição da demanda por energia. Varella diz que os meses entre novembro e março são os mais quentes do ano, portanto, naturalmente, o consumo cresce, devido ao uso de ares-condicionados e outros equipamentos. A hora a mais é refresco para a empresa.

Já para o consumidor, ressalta o gerente regional da Celesc, o horário de verão poderá representar uma redução na conta de luz. Ele explica que a mudança faz com que a demanda caia, consecutivamente, mais água fica represada nas barragens.

“Caso esteja na bandeira vermelha ou amarela, com mais economia, ela [bandeira] vai poder ir para verde”, diz Varella. Essa redução no valor da energia não é garantido, ele depende, também, da chuva e da confirmação de que a meta de economia vai se concretizar.

Histórico

O horário de verão existe desde 1931 no Brasil. Segundo o Ministério de Minas e Energia, a economia média foi de 4,5%. Em dinheiro, isso significou R$ 147, 5 milhões, correspondente ao custo evitado com o despacho de usinas térmicas por questões de segurança elétrica e com o atendimento à ponta de carga no período de vigência do horário.

Conforme o ministério, a economia com a segurança elétrica também foi grande, totalizando R$ 236,5 milhões em 2015.

Adaptação

As consequências da mudança de horário no organismo podem ir desde mal estar, dificuldades para dormir, sonolência diurna e até alterações de apetite. Segundo o médico Marcos Pontes, é preciso tomar alguns cuidados nos dias seguintes à mudança de horário, como evitar dirigir distâncias longas.

“É a mesma coisa de fazer uma viagem de um fuso horário para outro, tem um período para o organismo se adaptar àquele novo horário”, diz o médico.

O efeito também é sentido pelas crianças, ressalta o médico. “Principalmente as crianças que vão para a escola de manhã, vão ter que levantar uma hora mais cedo, podem ter uma sonolência maior pela manhã. Mas isso é uma coisa de hábito mesmo, é só manter aquele ritmo que o organismo vai se habituar”, afirma Pontes.

Com informações da Agência Brasil

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio