IBGE inicia coleta de dados em outubro na região de Brusque

Na terça-feira, uma reunião marcará a formalização da comissão que vai avaliar o trabalho do órgão

IBGE inicia coleta de dados em outubro na região de Brusque

Na terça-feira, uma reunião marcará a formalização da comissão que vai avaliar o trabalho do órgão

A partir do dia 1º de outubro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) inicia o trabalho de campo para o Censo Agro 2017 em todos os municípios brasileiros. Até o fim de fevereiro de 2018, os recenseadores do órgão visitarão propriedades e estabelecimentos rurais para coletar informações relacionada à realidade agrícola em cada município.

Antes de iniciar a pesquisa de campo, os municípios formaram as Comissões Municipais de Geografia e Estatística (CMGE), que terão como membros representantes das prefeituras e das câmaras de vereadores que auxiliarão neste trabalho.

O coordenador de subárea do IBGE de Brusque, Ronaldo Luiz Pedroso, explica que é necessário o apoio do poder público, principalmente, na divulgação do censo, no contato com os produtores e rurais e na identificação das localidades que serão pesquisadas.

Na agência de Brusque, o Censo Agro 2017 contará com uma equipe de 10 pessoas, sendo seis recenseadores e quatro supervisores que realizarão a pesquisa de campo em Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento, São João Batista, Major Gercino, Canelinha e Tijucas. “Pela nossa estimativa, o trabalho maior será realizado na região do vale do rio Tijucas, que tem a parte agrícola mais dominante, mas isso não quer dizer que não tenha produção em Brusque, por isso, precisamos do auxílio do poder público”, diz.

Na próxima terça-feira, 22, haverá uma reunião no salão nobre da prefeitura para formalizar a instalação da CMGE. Pedroso destaca que a função da comissão é balizar os trabalhos do censo agropecuário, avaliando localmente as informações coletadas.

O coordenador ressalta que todas as propriedades rurais que têm algum tipo de produção, seja para sustento próprio, ou para comercialização serão visitadas pelos recenseadores que estarão uniformizados com crachá e colete do IBGE. “Só não vamos abranger aquelas propriedades que servem para veraneio. As demais, com criação de animais como galinha, porco, gado, plantações de todos os tipos, até mesmo eucalipto serão pesquisadas”.

Os resultados do Censo Agro 2017 devem ser divulgados, pelo menos, de maneira preliminar, na metade do ano que vem. O censo é realizado de 10 em 10 anos. A sua última edição foi em 2007.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio