Idosos, mulheres e crianças são os mais visados pelos criminosos

Antes de cometer um crime, bandidos costumam “estudar” a rotina de seus alvos

Idosos, mulheres e crianças são os mais visados pelos criminosos

Antes de cometer um crime, bandidos costumam “estudar” a rotina de seus alvos

Idosos, mulheres e crianças. Esses são os grupos de pessoas mais visados pelos criminosos no momento de cometer um delito. Apesar de muitas vezes o bandido agir pelo impulso ou pela influência de drogas, ele também consegue, em determinados casos, verificar e estudar o cenário mais apropriado. Locais sem muito movimento, pessoas desacompanhadas e possibilidades da vítima se defender também são levadas em consideração pelos criminosos na hora de anunciar um assalto.

O comandante da Polícia Militar, tenente-coronel Moacir Gomes Ribeiro, informa que a intenção do criminoso é não ser pego pela polícia. Por isso, precisa analisar todas as possibilidades de risco se alguma coisa der errado. “Como o meliante tem um tempo ocioso muito grande, consegue analisar todas as situações, pois quer fazer um crime perfeito. Por isso, o bandido, em alguns casos, chega a estudar até mesmo a rotina do alvo e a fragilidade”.

Com intuito de ter sucesso em seus crimes, os bandidos procuram esses grupos de pessoas até mesmo por terem mais segurança. Os homens adultos se tornam alvos, geralmente, quando o criminoso possui uma estrutura melhor para cometer o crime, como armamentos. “Quando o bandido tem uma arma de fogo, tem um poder um pouco maior de coibir a vítima, por isso se arrisca mais e procura pessoas que tenham um pouco mais de dinheiro, objetos valiosos e algo que interessa para ele”, comenta Gomes.

Quando o criminoso está armado apenas com uma faca ou, às vezes, sem nada, busca tentar o crime em um grupo mais frágil, na visão dele. Na maioria das vezes o criminoso se dá bem, mas ainda há possibilidades de dar errado, como aconteceu em casos recentes de tentativas de assalto em Brusque, com o grupo de amigas, em 22 de novembro e na loja Milium, quando as vítimas reagiram.

O tenente-coronel ressalta que o criminoso não vê somente os grupos de risco. Ele também analisa os locais de atuação, se é mais isolado, escuro e a movimentação no momento. “O meliante realmente faz um pequeno estudo do cenário para ter sucesso”, afirma.

Dicas de segurança

Como na ótica dos criminosos as mulheres, crianças e idosos são mais fragilizados, o comandante da PM orienta que essas pessoas sigam algumas dicas de segurança. Por exemplo, evitar andar sozinho em locais com poucas pessoas, muito escuros ou em que a possibilidade do socorro chegar seja mais difícil.

Além disso, é importante não ostentar bens durante trajetos de risco, como andar com celular na mão, bolsas ou mochilas abertas. “Quanto menos público tiver, mais favorece a ação do meliante. Então é necessário tomar alguns cuidados, especialmente em determinados horários da noite”, alerta Gomes.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio