Conteúdo exclusivo para assinantes

Implantação de ouvidoria na Prefeitura de Guabiruba depende de apoio de confederação nacional

Prometido em fevereiro, sistema tem custo elevado, alega governo

Implantação de ouvidoria na Prefeitura de Guabiruba depende de apoio de confederação nacional

Prometido em fevereiro, sistema tem custo elevado, alega governo

A falta de recursos para investimentos fez com que a Prefeitura de Guabiruba adiasse a implantação da Ouvidoria Municipal. Prometida em fevereiro, a medida deverá ficar para o fim do ano, se uma parceria com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) for possível.

Em entrevista ao jornal O Município no início deste ano, o prefeito Matias Kohler afirmou que a instalação da ouvidoria seria estudada. A previsão, à época, era definir pelo menos o modelo a ser adotado em 30 dias, para então começar a implantá-la.

Segundo Kohler, algumas empresas especializadas foram consultadas. “As empresas não dariam o resultado esperado e o custo é elevado”, afirma o prefeito.

Guabiruba passa por problemas nas finanças, conforme vem sendo noticiado por O Município. Atualmente, a prefeitura é quase totalmente dependente de recursos federais para fazer investimentos.

Sem dinheiro, a prefeitura, neste momento, estuda uma alternativa. Segundo Kohler, na última reunião com o movimento municipalista foi discutida a questão das ouvidorias nas prefeituras.

A CNM deverá escolher um modelo de ouvidoria e disponibilizá-lo para as prefeituras. Essa é a aposta da Prefeitura de Guabiruba neste momento, já que, em 60 dias, a confederação deve apresentar algo de concreto aos municípios.

“É um compromisso, mas nem sempre conseguimos fazer quando queremos”, afirma Kohler, sobre o atraso na implantação da estrutura. O Ministério Público e organizações de transparência consideram a existência de uma ouvidoria um fator importante no atendimento ao cidadão.

Hoje, a Prefeitura de Guabiruba não tem controle preciso de todas as pessoas que ligam para reclamar, sugerir ou solicitar algum serviço. O cidadão tem de telefonar diretamente para o setor e falar com o responsável.

Com uma ouvidoria, haverá um número central onde todas os contatos serão registrados. Dependendo do modelo a ser adotado pela CNM e pela prefeitura, o próprio cidadão poderá acompanhar a quantas anda a sua solicitação. A implantação da ouvidoria também foi debatida na Câmara de Vereadores anteriormente.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio