Indicações dos membros da CPI deve acontecer nos próximos dias

Reuniões da CPI das oficinais devem começar em 30 dias

Indicações dos membros da CPI deve acontecer nos próximos dias

Reuniões da CPI das oficinais devem começar em 30 dias

As reuniões da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que irá investigar contratos da Prefeitura de Brusque com oficinas mecânicas devem começar em cerca de 30 dias. Após a criação oficial da CPI, realizada nesta terça, os líderes partidários indicarão os vereadores que farão parte da comissão. Para isso, no entanto, não foi estipulado um prazo, mas os parlamentares acreditam que não deve demorar.

O vereador Guilherme Marchewsky (PMDB), presidente do Legislativo, afirma que o partido ainda está conversando sobre indicar ou não um membro. Nesse caso, seria obrigatoriamente o vereador Celio de Souza, já que Marchewsky, como presidente, é impedido de integrar comissões. Ele disse também que há possibilidade do PMDB abdicar de sua vaga e outros partidos indicarem membros, como aconteceu na CPI do Samae, iniciada em 2013 e finalizada no começo deste ano.

O vereador Felipe Belotto, líder do PT no Legislativo, diz que reunirá a bancada e que, certamente, por ter quatro vereadores, um deles será indicado para compor a CPI. Uma conversa inicial já foi realizada ao final da última sessão legislativa, na terça-feira.

Belotto revela que, particularmente, prefere não participar desta comissão, por já ter sido escolhido para a anterior, na qual atuou como relator. “Deve ser outra pessoa, porque não é bom ser sempre o mesmo, é bom ter, dentro da bancada, um revezamento”.

O vereador Jean Pirola, líder do PP, também garante que o partido irá ocupar a sua vaga na CPI, garantida pela representatividade da sigla, que elegeu dois vereadores. Ele e o vereador Edson Rubem Muller, o Pipoca, irão conversar nesta semana e decidir a indicação, que também passará pela opinião da executiva do partido.

Pirola também já participou da CPI do Samae e, por ser membro do partido do vice-prefeito, um dos investigados nesse procedimento, pediu para não ser presidente nem relator. No entanto, dessa vez, pela inexistência de vínculo partidário, se sente a vontade para participar da investigação.

O outro grupo que deve indicar um dos membros da CPI é composto por PPS, PR e PTdoB. O vereador André Rezini (PPS), já manifestou que não participa do processo. Alessandro Simas (PR) e Moacir Giraldi (PTdoB) devem conversar hoje sobre o assunto, e decidir qual deles irá compor a comissão.

Simas revela que irá levar a Giraldi seu interesse em participar dos trabalhos de investigação. O vereador do PTdoB, por sua vez, já tem experiência em CPI: participou da última realizada pela Câmara, que investigou desapropriação de terreno pelo Samae.

Depois de definidos os membros, eles se reúnem para eleger o presidente que, por sua vez, indica o relator.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio