Ingo Fischer fala sobre suas propostas como candidato a prefeito de Brusque

"A administração pública é até um pouco mais fácil que a privada", diz Ingo Fischer (PP), que está em sua primeira disputa eleitoral

Ingo Fischer fala sobre suas propostas como candidato a prefeito de Brusque

"A administração pública é até um pouco mais fácil que a privada", diz Ingo Fischer (PP), que está em sua primeira disputa eleitoral

O empresário Ingo Fischer começou sua vida profissional abrindo uma pequena oficina de bicicletas, em 1961, que deu origem à Irmãos Fischer, empresa que administra atualmente. Filiado ao Partido Progressista (PP), esta é a primeira vez que ele disputa um cargo eletivo e, já na estreia, concorre ao mais alto posto do Executivo municipal. Nessa entrevista, Fischer explica porque decidiu sair da iniciativa privada para a gestão pública.
Por que quer ser o prefeito

“Eu decidi ser o candidato a prefeito de Brusque pelo conhecimento que eu tenho em administração, claro, não como administração pública, mas privada. Eu tenho praticamente 50 anos de indústria, nos quais nós desenvolvemos a Irmãos Fischer S/A. Começamos com uma pequena oficina de bicicletas e hoje temos um das maiores empresas do município. A administração publica é um pouco diferenciada, mas não é muito diferente da privada. Na minha concepção, até acho que a pública é um pouco mais fácil, porque na administração pública você administra um orçamento, calculado dentro das receitas e da arrecadação, e cabe ao prefeito a iniciativa de procurar outros recursos, a nível estadual e federal, em cima de projetos”.
Proposta principal

“São muitas as propostas de campanha. Temos muita coisa a ser feita. Brusque é uma cidade que está crescendo muito, está vindo muita gente de fora, há necessidade de melhorar a educação, a saúde e a segurança. Eu falo muito em saúde pelo fato de fazer parte do Hospital Azambuja há 25 anos, sei da dificuldade que o município passa. Temos que fazer um trabalho mais agressivo neste sistema, porque quem sempre sofre é a população. Lá, atendemos de 85 a 90% pelo SUS, e todo procedimento do SUS não cobre nem o custo. Temos que ter, também, mais segurança na cidade, pelo fato de muita gente vir de fora, e a gente nunca sabe quem vem, temos que nos preparar para todos que vem de fora”.
Projetos do governo anterior

“Eu iria classificar todos os bons projetos que o prefeito anterior deixou e iria dar continuidade. Iria fazer uma avaliação dos outros projetos, que a gente não considerar tão importante. Alguns projetos que ainda não foram colocados, como a continuidade da Beira Rio, que é primordial, não só de um lado quanto do outro, ter as duas avenidas prontas”.
Prioridade em infraestrutura

“Terminar a duplicação da Antônio Heil, da ponte da Uvel até a [Sociedade] Bandeirante, porque até a ponte da Uvel a Irmãos Fischer está duplicando. A grande vontade seria, se eu for eleito, também duplicar ao menos até a entrada da Limeira, que já tenho conversado com o governador [Raimundo Colombo], Ele me autorizou a duplicar a parte da ponte da Uvel até a Limeira. Tem outras coisas que terão de ser feitas, na questão de rodovias, como ampliar a rodovia Ivo Silveira, e fazer o projeto do anel viário que o prefeito anterior deixou, pois teríamos um tráfego muito grande que não entraria em Brusque, mas cortaria por fora. Claro que não vou conseguir fazer isso em 20 meses, mas a gente pode deixar a coisa projetada, para que os sucessores tenham condições de terminar essas obras”.
Expansão de malha cicloviária

“A ciclovia não é somente em Brusque que está sendo feita, é no Brasil inteiro e no exterior. Na Europa tem cidades inteiras em que todo mundo anda de bicicleta. Na Holanda, hoje, o casal de namorados ainda anda de bicicleta. Aqui em Brusque não deveria ser diferente, porque cada dia que passa o número de carros aumenta, e as estradas são poucas. Precisamos incentivar que o pessoal ande de bicicleta, porque, além de fazer o exercício, faz economia. Na nossa região, é uma coisa lógica e terá que ser feita”.
Prioridade em Saúde

“Não conheço os postos de saúde que temos em Brusque, irei avaliá-los e incrementá-los, porque nem tudo pode cair no hospital, o pré-atendimento tem que ser feito nas regiões, para que a população seja bem assistida em saúde”.
Prioridade em Educação

“A educação é uma coisa primordial para todos os seres humanos, é pela educação que se desenvolve uma nação, que se desenvolve uma indústria. Cursos técnicos e cursos profissionalizantes são muito importantes dentro da educação, na parte primária, porque ninguém pode ficar sem uma formação educacional”.
Queda da arrecadação e de repasses

“Temos que fazer um trabalho agressivo junto às nossas indústrias, fazer com que elas cresçam e desenvolvam. Quanto mais crescem, mais o município arrecada, e também ficar em cima de novos projetos para conseguir recursos do governo federal. Devemos ir à busca de recurso onde existe, usar os nossos deputados federais e senadores para conseguir recursos em Brasília, onde se concentram todos os recursos”.
Apoio da Câmara de Vereadores

“Gostaria de fazer a maioria na Câmara e, se não fizer, vou conversar com todos eles. Acho que jamais um vereador vai negar a aprovação de um projeto que é importante para sua cidade. Seria muito importante ter a maioria, mas se eu não tenho, vou procurar ter. Tem que trabalhar também com associações de bairros, clubes sociais, associação empresarial, CDL, com o clube dos engenheiros, que pode te dar uma porção de informação para te ajudar a administrar o município”.
O papel dos partidos no governo

“Meu objetivo como prefeito é trabalhar com todos os vereadores e todos os partidos, porque não é sozinho que se faz as coisas, é tudo em conjunto. Aqui na organização, eu sozinho não faria nada, a mesma coisa é no município. Inclusive, tenho muita amizade com o governador, que é do PSD, tanto é que ele me autorizou a fazer essa duplicação. Temos uma parceria muito bonita”.
Continuidade do financiamento internacional

“Sem dúvida nenhuma eu tenho vontade de retomar esse projeto. Claro que isso depende da Câmara de Vereadores, que teria que autorizar o empréstimo. Todo recurso do exterior a juros baixo, como é caso, Brusque jamais deveria negar. Gostaria que a Câmara de Vereadores me ajudasse a aprovar esse projeto, para que Brusque tenha recursos para fazer todas essas obras que já foram planejadas”.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio