Nascida há menos de duas décadas em um cômodo da casa de Rita Cássia Conti, a indústria RC Conti trilha trajetória de crescimento. De dentro de uma pequena sala, no mesmo andar onde ficam seus funcionários, a empresária comanda a fábrica que tem a sua marca: criativa e dinâmica.

No 19º ano de existência, a empresa brusquense já se consolidou no mercado. Atua não só como prestadora de serviços para grande magazines, mas também tem a marca própria: Mensageiro dos Sonhos. A marca tem como característica principal a inovação no mercado. Foi assim que nasceu, em 1998, e assim tem permanecido.

O segredo para ter crescido tanto em tão pouco tempo está em Rita, 52 anos, sócia da empresa junto com sua irmã, Patrícia Conti. Publicitária de formação, a empreendedora foca no planejamento e na inovação constante dos modelos para superar momentos difíceis.

Foi por isso que em 2014, quando a crise financeira assolava o país e via-se empregados fazendo filas para retirar o Fundo de Garantia, ela resolveu modernizar a empresa. O setor de corte foi automatizado e robôs passaram a fazer o serviço.

“Fomos, aos poucos, deixando a empresa mais enxuta, mais moderna e mais produtiva para enfrentar épocas assim. São investimentos altos, mas são oportunidades de negócio”, diz a empresária.

Rita viu ali, junto com a equipe, uma oportunidade. Percebeu que o preço do maquinário estava praticamente pela metade do normal, e que uma hora o período difícil passaria. Era necessário manter-se firme.

A visão da empresária confirmou-se. O dólar aumentou e os grandes magazines do Brasil deixaram de comprar produtos mais baratos na Ásia. Voltaram-se mais para o mercado interno, e a RC Conti estava pronta para absorver a demanda.

No primeiro semestre deste ano, a indústria já cresceu 10% na produção em relação a 2016. Parte disso é para a marca Mensageiro dos Sonhos, e parte para clientes como Pernambucanas, Marisa, Lupo, DeMillus, Havan, Walmart e outras grandes redes.

Boa parte dos magazines já era cliente da RC Conti, mas a produção aumentou nos últimos tempos. “Metade do faturamento é composto pela marca própria, e os outros 50%, por empresas que são parcerias, os grandes players”, afirma Rita.

No caso dos magazines, a empresa trabalha como indústria: apenas produz e as roupas são vendidas com as etiquetas escolhidas pelos clientes.

Por meio dessas redes de lojas, a RC Conti está presente nos 26 estados do país e no Distrito Federal. Anualmente, produz mais de 3,5 milhões de peças de roupas íntimas. A média mensal de produção fica acima das 300 mil unidades.


Inovação e criatividade para surpreender

Quando nasceu no fim da década de 1990, a empresa adentrou o mercado local com variedade de modelos. Introduziu a moda para dormir. E as pessoas, acostumadas à opacidade e mesmice dos pijamas até então, encantaram-se pelas novas opções.

“Somos focados em produtos de algodão, conforto, em moda para dormir, com um leque gigante. No início, o pessoal era acostumado a dormir com roupas tradicionais, como camisolão. Hoje sinto que muitas empresas são fruto daqui, o que acho muito bacana”, afirma Rita.

Em 1998, as fábricas de pijama tinham poucas cores. Rita revolucionou o mercado local com experiência trazida do Rio Grande do Sul. Trouxe uma cartela de cores recheada, e inovou nas estampas, com estilos diferentes.

A empresa que havia começado em sua casa teve de se mudar dois meses depois para uma garagem. Pouco depois, nova ampliação e, então, para a sede atual, onde trabalham cerca de 140 funcionários.

Atualmente, a Mensageiro dos Sonhos tem coleções com mais de 800 modelos para o cliente selecionar. A cartela de cores é composta por mais de 200 tonalidades. Não é figura de linguagem, garante Rita: se houver pedido, a fábrica faz na cor escolhida.

Rita imprimiu nas coleções, desde o começo, a sua personalidade. Até hoje, embora tenha várias funções gerenciais, ela atua junto com o setor de criação. O segredo para empreender é se envolver, afirma a empresária.

“O empreendedor tem que ter essa característica de se envolver com seus colaboradores para ter sucesso”, declara.

A criatividade da publicitária gerou não apenas a RC Conti, mas muitos empregos. Além dos 140 colaboradores, são outras 22 empresas terceirizadas. Ao todo, mais de 600 empregos indiretos gerados.

As oficinas, como são chamados os terceirizados, têm contrato e recebem treinamentos constantes para se equiparar ao nível de qualidade exigido pela RC Conti e pelas grandes magazines.


Envolvimento social é a chave do sucesso

Rita é gaúcha de Canoas (RS), mas se sente brusquense. Recebeu, inclusive, o título de cidadã honorária da Câmara de Vereadores. Na cidade natal, viveu com os pais, que eram agricultores e muito pobres.
Já na juventude, frequentou o curso de Publicidade e Propaganda na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Foi aí que surgiu o envolvimento social, marca de Rita e, por consequência, da RC Conti.

Foi presidente do centro acadêmico e lutou por melhorias no laboratório do curso. O ímpeto a fez se destacar e acabou empregada em uma agência de Porto Alegre. Ali, conheceu gente de grandes redes e pôs o conhecimento em prática.

A Azaleia viu o potencial da jovem e a contratou. Rita foi, então, morar na região de Gramado, ainda com menos de 20 anos. “Formei um departamento de publicidade e propaganda sozinha, cheguei a gerenciar mais de 70 homens. Eu era bem nova, e tinha muitas ideias diferentes para a indústria”, comenta.

Viajou o país por meio do emprego e deparou-se com Brusque. “Nessas viagens, conheci essa região, há mais de 20 anos, e vi que aqui tinha um potencial muito grande no setor têxtil, mas principalmente em roupas íntimas e pijamas, uma linha que eu gosto muito. Sentia que a região não era tão desenvolvida nesse segmento. As ideias que eu tinha poderiam agregar para os pijamas”, diz.

Após uma primeira empresa, abriu a RC Conti, em 1998. De todos os trabalhos e experiências que teve, tirou a lição de que é preciso se envolver a fundo nos negócios e no meio em que se vive.

Rita participa da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) e é presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Brusque, Botuverá, Guabiruba e Nova Trento (Sindivest). Também está envolvida com ações da Igreja Católica na cidade e outras entidades.

A RC Conti participa de várias iniciativas educacionais, e já fez até mesmo uniformes gratuitamente para alunos da rede pública de Brusque. Atualmente, está com uma parceria com o Centro Universitário de Brusque (Unifebe), na qual os alunos concorrerão a duas bolsas integrais.

Os estudantes terão que criar roupas íntimas ecológicas para a Mensageiro dos Sonhos. A dupla selecionada terá a faculdade paga, e a marca venderá os produtos. A parceria com o centro universitário está longe de ser uma novidade.

“Sempre busquei muita metodologia, conhecimento com universidades, Senac-SC, Sebrae-SC. Não paramos, são melhorias contínuas, envolvendo todos os líderes”, diz Rita.

Os funcionários também são incentivados a estudar, participar de cursos e assistir palestras. Com a estratégia, hoje a fábrica conta com funcionários em posições de liderança que têm mais de dez anos de casa.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980