Abandono de animais em mudanças de endereço preocupa Acapra

Cerca de dez cachorros são deixados em casa por mês, principalmente em bairros distantes do Centro

  • Por Daiane Benso
  • 6:30
  • Atualizado às 9:14

Abandono de animais em mudanças de endereço preocupa Acapra

Cerca de dez cachorros são deixados em casa por mês, principalmente em bairros distantes do Centro

  • Por Daiane Benso
  • 6:30
  • Atualizado às 9:14
  • +A-A

A Associação Brusquense de Proteção aos Animais (Acapra) registra pelo menos dez casos por mês de pessoas que se mudam e abandonam seus bichinhos em casa. A situação é comum em bairros mais afastados do Centro e principalmente com cachorros, de várias idades, sem raça definida.

A prática vem se tornado frequente no município e tem causado desgaste para a entidade. A presidente Lilian Dressel diz que já é difícil comprovar o abandono dos animais e registrar um boletim de ocorrência em casos normais, e neste é “praticamente impossível”. Ela conta que toda semana a entidade recebe denúncias, porém, o comunicante – na maioria vizinhos – não sabem o nome do tutor dos cães e nem para onde se mudaram.

“É uma situação desgastante. As pessoas se mudam e deixam o animal no terreno. Após uns três dias percebe-se que foram abandonados e a alternativa que os vizinhos encontram é nos comunicar, mas ninguém quer assumir aquele cão”, afirma.

A Acapra auxilia o comunicante que cuide do animal, já que a entidade não tem um local específico para colocá-los. Em geral é solicitado que façam fotos dos cachorros para que possam divulgar nas redes sociais e encontrem um lar temporário. “Cada pessoa reage de uma maneira diferente. Tem os que se solidarizam e não se importam em cuidar alguns dias dos bichinhos e outros que não querem, mas a orientação é sempre a mesma”.

A presidente diz ainda que a situação foge do controle das imobiliárias, que não se responsabilizam pelo abandono. “A imobiliária faz a vistoria e neste momento o dono não dá sinais que vai abandonar o animal, mas depois acaba deixando-o. Geralmente são pessoas sem consciência que pegam os bichos sem pensar no futuro, e quando ocorre um caso como este, em que precisam se mudar, acabam se esquivando deles. É triste, pois os cães acham que o dono vai voltar e ele não volta”, afirma Lilian, que pede mais atenção das imobiliárias no momento da locação de cidadãos que têm animais.

Orientação
O Núcleo de Corretores e Imobiliárias da Associação Empresarial de Brusque (Acibr) não havia recebido informações sobre o assunto até contato da reportagem do O Município. O coordenador Horst Heinig diz que já viu situações na internet, em outras cidades, mas não havia sido alertado do problema em Brusque. “Infelizmente muita gente perde o emprego, se muda e deixa o bichinho no imóvel. Estamos à disposição da Acapra para sugestões e também estaremos orientando as imobiliárias para que instruam os inquilinos no momento que entrarem no imóvel”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio