Abandono de animais em mudanças de endereço preocupa Acapra

Cerca de dez cachorros são deixados em casa por mês, principalmente em bairros distantes do Centro

Abandono de animais em mudanças de endereço preocupa Acapra

Cerca de dez cachorros são deixados em casa por mês, principalmente em bairros distantes do Centro

A Associação Brusquense de Proteção aos Animais (Acapra) registra pelo menos dez casos por mês de pessoas que se mudam e abandonam seus bichinhos em casa. A situação é comum em bairros mais afastados do Centro e principalmente com cachorros, de várias idades, sem raça definida.

A prática vem se tornado frequente no município e tem causado desgaste para a entidade. A presidente Lilian Dressel diz que já é difícil comprovar o abandono dos animais e registrar um boletim de ocorrência em casos normais, e neste é “praticamente impossível”. Ela conta que toda semana a entidade recebe denúncias, porém, o comunicante – na maioria vizinhos – não sabem o nome do tutor dos cães e nem para onde se mudaram.

“É uma situação desgastante. As pessoas se mudam e deixam o animal no terreno. Após uns três dias percebe-se que foram abandonados e a alternativa que os vizinhos encontram é nos comunicar, mas ninguém quer assumir aquele cão”, afirma.

A Acapra auxilia o comunicante que cuide do animal, já que a entidade não tem um local específico para colocá-los. Em geral é solicitado que façam fotos dos cachorros para que possam divulgar nas redes sociais e encontrem um lar temporário. “Cada pessoa reage de uma maneira diferente. Tem os que se solidarizam e não se importam em cuidar alguns dias dos bichinhos e outros que não querem, mas a orientação é sempre a mesma”.

A presidente diz ainda que a situação foge do controle das imobiliárias, que não se responsabilizam pelo abandono. “A imobiliária faz a vistoria e neste momento o dono não dá sinais que vai abandonar o animal, mas depois acaba deixando-o. Geralmente são pessoas sem consciência que pegam os bichos sem pensar no futuro, e quando ocorre um caso como este, em que precisam se mudar, acabam se esquivando deles. É triste, pois os cães acham que o dono vai voltar e ele não volta”, afirma Lilian, que pede mais atenção das imobiliárias no momento da locação de cidadãos que têm animais.

Orientação
O Núcleo de Corretores e Imobiliárias da Associação Empresarial de Brusque (Acibr) não havia recebido informações sobre o assunto até contato da reportagem do O Município. O coordenador Horst Heinig diz que já viu situações na internet, em outras cidades, mas não havia sido alertado do problema em Brusque. “Infelizmente muita gente perde o emprego, se muda e deixa o bichinho no imóvel. Estamos à disposição da Acapra para sugestões e também estaremos orientando as imobiliárias para que instruam os inquilinos no momento que entrarem no imóvel”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio