Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Interlocutores do PSL avaliam que Comandante Moisés terá cargo federal caso perca eleição estadual

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Interlocutores do PSL avaliam que Comandante Moisés terá cargo federal caso perca eleição estadual

Raul Sartori

Sacrifício do comandante
Nas searas do PSL de SC pensou-se de tudo nas últimas horas após o presidenciável Jair Bolsonaro dizer que não vai apoiar nenhum dos dois candidatos a governador do estado. Sua eleição para o Palácio do Planalto tem prioridade máxima e absoluta, sem se dar ao luxo de dispensar apoios. A leitura que se faz é que se Gelson Merisio vencer, o Comandante Moisés terá uma compensação por seu sacrifício, digamos assim: será premiado com um cargo federal de grande importância, em eventual governo do capitão, mesmo porque ele se encaixa no perfil que está sendo exigido: é técnico.

Veja também:
Após tirar filho especial de escola por falta de adaptação, mãe de Brusque enfrenta processo judicial

Morador de Brusque questiona atuação de companhia aérea em embarque com cão-guia

STF inicia julgamento de recurso contra absolvição de Paulo Eccel

Pesquisas
Os institutos de pesquisas perderam muito de sua credibilidade com os enormes furos na eleição de domingo. Não é por acaso que há vários projetos no Congresso Nacional, tentando limitar sua atuação. Entre eles uma proposta emenda constitucional (PEC) de 2015, de autoria do falecido senador catarinense Luiz Henrique da Silveira (MDB-SC), bombardeada pela mídia – Rede Globo em especial, que a criticou em editorial no Jornal Nacional – proíbe a divulgação de pesquisas eleitorais nos 15 dias que antecedem a eleição.

Cantilena 1
Na primeira sessão, anteontem, após o primeiro turno das eleições, os deputados estaduais catarinenses foram à tribuna fazer comentários e avaliações dos resultados e dos surpreendentes recados das urnas. Um dos mais surpresos foi Leonel Pavan (PSDB) que, contrariando todas as previsões, não conseguiu eleger o filho homônimo para deputado estadual.

Cantilena 2
Nos vários pronunciamentos, alguns reconheceram que o eleitor quis demonstrar, nas urnas, que está cansado do conhecido, dos mesmos grupos e das mesmas pessoas. Em todos faltou autocrítica, ou seja, esqueceu-se de dizer que o eleitor e contribuinte está cansado mesmo é das safadezas dos políticos, principalmente dos privilégios que se autoconcedem.

Inimigo intimo
Enquanto parte do PP comemora o sucesso eleitoral de domingo, principalmente com a eleição de Esperidião Amin para o Senado, outra faz um silêncio ensurdecedor. É aquela que tirou Amin da presidência do partido, no ano passado. Dois de seus cabeças (Valmir Comin e Silvio Dreveck) não conseguiram reeleger-se para a Assembleia Legislativa.

Voto regional
O Sul de SC, de Laguna a Araranguá, elegeu domingo três deputados federais e oito estaduais. É o resultado exitoso de uma campanha pelo voto regional que uniu as principais entidades da sociedade organizada.

Ironia
Foi em Paris, onde Chico Buarque, numa mesa de café, disse que não voltaria ao Brasil se Lula fosse preso, onde Jair Bolsonaro colheu uma de suas raras derrotas de brasileiros que votaram no exterior. Na Venezuela, que o PT insiste em achar que é uma democracia, o capitão da reserva do Exército conquistou 68,93% dos votos.

Filme velho?
A mesma sensação momentânea de mudança que milhões de brasileiros sentem agora, com os acachapantes resultados das urnas no último domingo, foi festejada há 16 anos, quando Lula ascendeu ao poder. E deu no que deu. O país está num atoleiro, em todos os sentidos.

Veja também:
Alunos da escola Doutor Carlos Moritz, no Zantão, têm aulas de robótica

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Detento é condenado a 17 anos de prisão por matar colega de cela

Acordo inédito
Viu-se lágrimas em audiência, na comarca de Blumenau, anteontem, em que as partes envolvidas em uma disputa inicialmente acirrada, terminou em abraços e beijos: os R$ 200 mil do acordo firmado será destinado ao projeto de equoterapia Pomerequo, que atende crianças da cidade de Pomerode.

Extinção
Finalmente, uma excrecência da nossa sufocante burocracia chega ao fim, que é o reconhecimento de firma, assim chamada a autenticação de cópias de determinados documentos pessoais para o cidadão que precisa lidar com órgãos do governo. O fim desse esbulho de séculos foi dado pela lei federal 13.726, sancionada e publicada terça-feira no Diário Oficial da União.

Empresário Sombra
Entre as iniciativas da Junior Achievement, entidade que fomenta o empreendedorismo entre jovens de escolas públicas e particulares em todo o mundo, uma das mais emblemáticas é a chamada Empresário Sombra, que consiste na visita de alunos em empresas parceiras para vivenciar o dia a dia das organizações. Em SC 98 deles passaram o dia de ontem em negócios de Florianópolis, Blumenau e Joinville.