Irregularidades são encontradas em obra de supermercado

Vistoria realizada junto à Vigilância Sanitária culminou na interdição de dois alojamentos de funcionários

Irregularidades são encontradas em obra de supermercado

Vistoria realizada junto à Vigilância Sanitária culminou na interdição de dois alojamentos de funcionários

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque e região (Sintricomb) realizou vistoria na obra do Fort Atacadista em Brusque e identificou trabalhadores em condições que classificou, em comunicado, como “sub-humanas e em situação delicada de vivência”.

A vistoria foi na sexta-feira, 30, junto a representantes da Vigilância Sanitária de Brusque. Cerca de 60 trabalhadores foram encontrados no local, do município e de várias partes do país, contratados por meio de empreiteiras que executam o serviço.

Segundo o sindicato, grande parte deles está sem carteira de trabalho assinada, o que é ilegal. A instituição contesta também as condições de dormitórios e alojamentos em que estão os funcionários.

ALOJAMENTODois destes alojamentos, localizados nos bairros Nova Brasília e Santa Terezinha, foram interditados pela Vigilância Sanitária, por más condições. Um deles passará por adequações, pois abrigava número excessivo de pessoas em um pequeno espaço.

A equipe que fez a vistoria também considerou que a alimentação do grupo esta sendo servida em condições inapropriadas. A cozinha em que o alimento é preparado foi improvisada no piso superior de uma residência. Ali, técnicos da vigilância encontraram produtos com data de validade vencida.

“Além disso, os banheiros instalados para uso do grupo também estava fora das normas legais. Havia somente três banheiros e dois chuveiros para mais de 50 pessoas, bem como a falta de bebedouros de água”, divulgou o sindicato, em nota à imprensa.

O Sintricomb informou ter repassado aos responsáveis pela obra relatório dos problemas encontrados. Conforme a assessoria de segurança e saúde do trabalho do sindicato, caso os problemas não sejam regularizados, o sindicato poderá entrar com pedido de embargo da obra junto ao Ministério do Trabalho.

A Rede Fort Atacadista atua em várias partes do país, com loja em estados como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e Santa Catarina. O grupo assinou a autorização para construir a unidade em Brusque no mês de agosto, com proposta de inauguração até o fim de novembro deste ano.


Fort não foi notificado oficialmente

Representantes da rede de supermercados, contatados pelo Município Dia a Dia, disseram que ainda não estão a par do relatório feito pelo sindicato. O engenheiro civil Marcos Martins, que acompanhou o procedimento, informou que o Fort Atacadista não foi e nem será notificado pelos problemas encontrados na obra.

Isso porque, segundo o engenheiro, são diversas empresas terceirizadas que tocam a obra, tanto na parte de construção civil, quanto na parte de operacionalização do serviço, como a logística de transporte e alojamento de funcionários.

“Contratamos a obra toda com terceiros. Foram encontradas algumas irregularidades, mas formalmente não recebi nada, fica difícil falar qualquer coisa referente à legalidade dos procedimentos”, disse Martins.

Conforme o engenheiro, uma das terceirizadas responsável pela construção do empreendimento foi notificada porque cinco funcionários estavam sem registro. Ele foi informado que isso já está sendo providenciado.

A outra empresa notificada é a que está implantando a estrutura metálica da obra, e que mantém funcionários em alojamentos em imóveis alugados. Martins acredita que esta empresa também está providenciado a regularização dos problemas encontrados.

Hoje pela manhã será realizada uma reunião na obra, na qual o assunto será abordado e as empresas informarão a quantas anda a regularização dos problemas revelados pela vistoria.

 

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio