Jovem que já trabalhou como técnico de enfermagem em Brusque é indiciado por falsidade ideológica

Coren-SC emitiu alerta por suspeitar que ele esteja atuando no Paraná irregularmente

Jovem que já trabalhou como técnico de enfermagem em Brusque é indiciado por falsidade ideológica

Coren-SC emitiu alerta por suspeitar que ele esteja atuando no Paraná irregularmente

O Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina (Coren-SC) emitiu alerta, nesta terça-feira, 20, a todas as subseções pelo estado sobre um falso técnico de enfermagem que atuou no Hospital e Maternidade de Brusque (HEM) em 2016.

De acordo com o Coren-SC, Rodrigo José Gomes foi flagrado por um fiscal atuando sem qualificação profissional, tampouco registro de classe, como técnico de enfermagem em agosto do ano passado.

À época, Gomes foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil e um inquérito policial foi aberto contra ele. O suposto falso técnico de enfermagem foi, então, embora da cidade, de acordo com informações do Coren-SC.

O caso vem sendo acompanhado pelo Conselho, no entanto, ganhou um novo capítulo há poucos dias. Segundo a assessoria de comunicação da instituição, o Coren do Paraná entrou em contato porque suspeitou que Gomes foi para Curitiba e tentou, novamente, atuar como técnico.

“Agora em maio ele apresentou nova carteira para ser contratado em uma instituição de Curitiba”, afirma em comunicado na sua página oficial na internet. As informações que chegaram ao Coren-SC é de que Gomes falsificou uma nova carteira profissional para voltar a trabalhar.

Segundo a assessoria, após essa consulta do Coren-PR, foi tomada a decisão de divulgar nome e foto de Gomes. O temor é que um erro de procedimento médico seja cometido e alguém seja vitimado.

Polícia
Em agosto de 2016, Rodrigo José Gomes foi para a delegacia após fiscalização do Coren-SC. O boletim de ocorrência deu origem a um inquérito, que ainda está em andamento. De acordo com o site do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), ele responde a um inquérito policial na área criminal por falsificação de documento particular.

Houve uma decisão do juiz substituto Heriberto Dittrich Schmitt, da Vara Criminal, no dia 15 de maio deste ano, para que o Hospital e Maternidade apresente as credenciais profissionais de Gomes em juízo dentro de dez dias.

Gomes não foi condenado por nenhum crime até o momento. A reportagem tentou localizá-lo para dar direito ao contraditório, mas não obteve sucesso.

Histórico
De acordo com o Coren-SC, Gomes veio para o estado após ser descoberto no Paraná. “O jovem de 21 anos possuía registro no Coren-PR, mas perdeu depois que foi descoberto que o diploma apresentado era falso. Dessa forma, ele resolveu vir para Santa Catarina com uma carteira que ele mesmo forjou com um número de registro inexistente”, diz no comunicado o conselho.

Segundo o Coren-SC, Gomes já teve passagens anteriores pela polícia. “O jovem foi encaminhado à delegacia e lá mais uma descoberta: o mesmo tinha 13 passagens por pequenos furtos. Os dois empregadores foram comunicados e ele foi demitido dos dois lugares onde atuava por justa causa”, completa a nota do Coren-SC. Clique aqui e confira a nota na íntegra.


Indiciado dá sua versão

Rodrigo José Gomes, acusado de se passar por técnico de enfermagem em Brusque e atualmente no Paraná, entra em contato para dar seu contraponto. Ele alega que possui registro no Conselho Regional de Enfermagem do Estado do Paraná e não tem processo ético aberto em seu nome. Ele diz que saiu do Hospital e Maternidade de Brusque (HEM) por motivos pessoais e “não como disseram, que fui descoberto. Aliás não tem o que ser descoberto. E sim, nesta data para trabalhar eu não possuía condições financeiras para arcar com o valor da transferência de inscrição para SC. Então apenas alterei o estado da inscrição em um programa de computador e não o documento oficial que possuo. Foi dito que o número de inscrição é inexistente, porém, conforme pode ser verificado o número é verídico. E possuo uma passagem na polícia por este motivo de estar atuando em SC com o registro ativo apenas no estado do PR”.

O Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina (Coren-SC) havia emitido alerta no dia 20 deste mês, a todas as subseções pelo estado, sobre um falso técnico de enfermagem que atuou HEM em 2016. Em agosto de 2016, Gomes foi para a delegacia após fiscalização do Coren-SC. O boletim de ocorrência deu origem a um inquérito, que ainda está em andamento. De acordo com o site do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), ele responde a um inquérito policial na área criminal por falsificação de documento particular.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio