Julgamento da coligação de Paulo e Farinha é adiado

Recursos estavam na pauta da sessão de quinta-feira, 27, mas ministra pediu vistas

Julgamento da coligação de Paulo e Farinha é adiado

Recursos estavam na pauta da sessão de quinta-feira, 27, mas ministra pediu vistas

Após muita expectativa, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não julgou na sessão desta quinta-feira, 27, o recurso da coligação de Paulo Eccel (PT) e Farinha (PP). Constavam na pauta a ação cautelar e os embargos de declaração que pediam a volta dos dois políticos aos cargos de prefeito e vice-prefeito, respectivamente, até a conclusão do caso. No entanto, a ministra Lucina Lóssio pediu vistas do processo.

Com a falta de decisão, a situação permanece como está: com o presidente da Câmara, Roberto Prudêncio Neto (PSD), interinamente como prefeito e Paulo e Farinha fora do cargo, respondendo ao processo – poderá ser analisado, novamente, nas próximas sessões do tribunal.

A decisão estava sendo aguardada, pois há duas semanas o processo entrou na pauta do TSE, contudo, um dos ministros, Henrique Neves da Silva, havia pedido vistas do processo.

Paulo Eccel e Farinha estão fora do cargo desde 1º de abril. Em março, o processo da coligação foi julgado pelo tribunal, que decidiu pela cassação dos diplomas do prefeito e do vice por considerar que a prefeitura teve agastos acima da média em publicidade no ano eleitoral de 2012. A representação contra os dois foi feita pela coligação de Ciro Roza (PSD), que concorreu contra eles em 2012.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio