Levantamento mostra que Prefeitura de Brusque reduziu em 37% o número de servidores

As informações, repassadas pelo Executivo, foram divulgadas nesta semana pelo Observatório Social de Brusque

Levantamento mostra que Prefeitura de Brusque reduziu em 37% o número de servidores

As informações, repassadas pelo Executivo, foram divulgadas nesta semana pelo Observatório Social de Brusque

O Observatório Social de Brusque (OSBr) divulgou nesta semana um levantamento sobre as demissões e admissões realizadas pelo atual prefeito interino, Roberto Prudêncio Neto, envolvendo funcionários comissionados da Prefeitura de Brusque.

Conforme os dados apurados pelo Observatório, que os obteve por meio de pedido de informação à prefeitura, foram realizadas 229 exonerações de cargos comissionados, no começo de janeiro, assim que o Executivo retornou das férias coletivas.

Nessa leva de exonerações, estavam secretários, diretores, coordenadores e outros cargos de chefia. Em fevereiro, porém, parte deles foi recontratada, incluindo todo o primeiro escalão.

No fim daquele mês, conforme dados divulgados pelo Observatório Social, ocorrem 146 contratações de cargos comissionados para trabalhar na prefeitura. Dessas, 130 foram de funcionários que haviam sido demitidos em janeiro, e 16 de novos funcionários.

Dessa forma, o levantamento mostra que houve uma diminuição de 83 funcionários comissionados após a reforma administrativa não oficial. Percentualmente, representa uma redução de 36,24%, em relação ao número de comissionados existente em dezembro de 2015.

O prefeito interino, Roberto Prudêncio Neto, afirma que o atual número de cargos comissionados deve se manter até o fim do ano e que “é com isso que atingiremos a saúde financeira ao fim de 2016”.

A minirreforma administrativa

Ele informou que, no projeto de minirreforma administrativa que deve aportar na Câmara de Vereadores na próxima semana, estará definida a extinção por lei do número de cargos comissionados, para que nos próximos governos não seja possível “inchar a máquina”.

“A única forma de enxugar é reduzindo o número de cargos comissionados e de secretarias, por lei. Isso foi planejado em 2015 e estamos executando em 2016”, afirma Roberto Prudêncio.

O chefe do poder Executivo afirma que a exoneração dos comissionados no começo do ano – que segundo a prefeitura rendeu R$ 2 milhões em economia – e a redução do número de cargos tiveram que ser adotadas para ter como efeito imediato a possibilidade de concessão de reajuste acima da inflação ao funcionalismo público.

“Estamos encaminhando à Câmara a finalização do pacote de gestão, com a minirreforma administrativa, que vem para finalizar essa questão orçamentária”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio