Ligações internacionais não realizadas são cobradas de consumidores de Brusque

Somente em julho, Procon de Brusque recebeu cerca de 80 reclamações de erros em faturas da Oi e da Embratel

Ligações internacionais não realizadas são cobradas de consumidores de Brusque

Somente em julho, Procon de Brusque recebeu cerca de 80 reclamações de erros em faturas da Oi e da Embratel

Inúmeros moradores de Brusque foram surpreendidos nas últimas semanas com ligações internacionais em suas faturas de telefone. As chamadas, que não foram realizadas, foram computadas entre junho e julho pelas operadas Oi e Embratel (Claro).

Somente no mês passado, o Procon do município registrou 78 reclamações sobre o caso, a maioria contra a Oi: 67, e outras 11 contra a Embratel.

Na Delegacia de Polícia Civil, algumas pessoas também registraram a fraude para que o caso pudesse ser investigado. O empresário José Machado, proprietário do Centro de Formação de Condutores Diplomata, foi uma das vítimas.

Ele conta que recebeu duas faturas da Embratel com diversas ligações internacionais direcionadas para Cuba, Haiti e Cazaquistão, sempre à noite. Uma das faturas veio no valor de R$ 154,72 e a outra de R$ 170,82. Porém, Machado afirma que a empresa só funciona em horário comercial e as ligações ocorreram entre 1h30 e 5h, ou seja, na madrugada.

O empresário entrou em contato com a operadora, mas afirma ter sido mal atendido, além de ser repassado para, no mínimo, dez atendentes. “Um deles [funcionário] ainda quis insistir comigo de que eu tinha mesmo feito as ligações, mas é impossível. No fim, nada foi resolvido”, diz.

Como Machado não pagou as duas faturas, a operadora liga constantemente para que a dívida seja quitada. Na semana passada o empresário levou as faturas também para o Procon, para que consiga, finalmente, resolver o problema.

O diretor-administrativo do Procon, Anderson Merlo, conta que com as reclamações frequentes, o Procon entrou em contato com o setor jurídico das duas operadoras. A explicação das empresas é de que houve um erro no sistema, que acabou lançando essas cobranças nas faturas. “Eles afirmam que já foi feito o reparo, mas o sistema lançou muitas cobranças assim. Na maioria das reclamações que recebemos, as ligações foram feitas para o Haiti e Bolívia”, diz.

Operadoras retificam faturas

A orientação para as pessoas que tiverem o mesmo problema é de que levem a fatura ao Procon. Segundo o diretor-administrativo, quando o consumidor não paga o boleto, o órgão manda de volta para as operadoras, que retificam e em dez dias mandam a nova cobrança, com o valor correto. “Não se discute se há ou não gravações das ligações, nem nada, porque todas elas são indevidas mesmo”, diz.

Merlo afirma que há casos em que o consumidor pagou a fatura e somente depois percebeu o erro. Nessas situações, ele diz que a pessoa deve também procurar o Procon, pois o Código de Defesa do Consumidor determina que a devolução do valor deve ser em dobro. “Já tivemos casos assim e eles realmente cumprem com o estabelecido e descontam em dobro na próxima fatura”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio