Liminar que mantinha Azul no cargo é revogada

O policial civil Roberto José Lídio, conhecido como Azul, é suspeito de envolvimento na Operação Arrastão

Liminar que mantinha Azul no cargo é revogada

O policial civil Roberto José Lídio, conhecido como Azul, é suspeito de envolvimento na Operação Arrastão

O policial civil Roberto José Lídio, conhecido como Azul, teve a liminar que o mantinha no cargo revogada pelo desembargador Cid Goulart, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC). No início de março, a sua demissão da Polícia Civil em Guabiruba foi publicada no Diário Oficial do Estado, porém, menos de um mês depois, a liminar garantiu ao agente a permanência no cargo, porém, a decisão foi revogada.

Ele é suspeito de envolvimento na Operação Arrastão, investigação deflagrada pela Polícia Federal em 2009. Ao todo, 25 pessoas foram indiciadas por participar de um esquema que envolvia a exploração de máquinas caça-níqueis nas cidades de Brusque, Tijucas, Blumenau, Canelinha, São João Batista, Itapema e Balneário Camboriú. De acordo com o inquérito policial, Azul responde pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção passiva.

Em setembro do ano passado, ele foi julgado e condenado a três anos e um mês, em regime aberto, em primeira instância na Vara Criminal da Comarca de Tijucas.

Azul diz que tentará voltar ao cargo por meio de recurso. “Vou até fim, vou recorrer sempre, até a última instância”, afirma. O policial, no entanto, diz que não pretende atuar por muitos anos, caso retorne ao cargo. “Já entrei com pedido de aposentadoria. Tenho 35 anos de serviços prestados somente na polícia, quero me aposentar”, explica.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio