Lutador brusquense morador da Austrália é grande aposta em ‘UFC’ da Ásia

Morando na Oceania há 13 anos, Luis Regis integra o One Championship

Lutador brusquense morador da Austrália é grande aposta em ‘UFC’ da Ásia

Morando na Oceania há 13 anos, Luis Regis integra o One Championship

Quando chegou na Austrália em 2005 para surfar com dois amigos, o brusquense Luis Regis não poderia prever que, uma década depois, estaria não só bem fixado e com família na terra dos cangurus, mas também integraria uma das maiores competições de artes marciais mistas do mundo.

Hoje, o brusquense disputa o One Championship, conhecida por ser a atual melhor promoção do MMA da Ásia e que convida os melhores lutadores de todos os cantos do país para participar. É reconhecida como um equivalente ao UFC, porém realizada em continente asiático, tendo como sede Singapura.

Regis passou a ser reconhecido no cenário do MMA depois de adquirir todos os cinturões na Austrália. Depois de um período de adaptação ao muay thay, prática na qual se especializou já no país oceânico, ele se desenvolveu e faturou títulos estaduais, nacionais e internacionais da modalidade.

Veja também:
Justiça suspende obra de terraplanagem do shopping de Brusque

Promessas de campanha: O Município verifica cumprimento de metas do governo de Brusque

Discurso em Libras da primeira-dama divide opiniões de intérpretes de Brusque

 

Primeiros golpes

Depois de lavar carros e trabalhar na construção civil, hoje é lutador profissional

Tudo começou para Regis quando ele decidiu lutar judô, na época proporcionado pelo Clube Esportivo Guarani. O tempo de prática entre os judocas foi curto, porque logo ele conheceu Franco e Rogerinho Las Flores, que o introduziram à capoeira. “Foi meu primeiro contato com uma arte marcial. Com o tempo também aprendi alguma coisa de vale tudo, foi um período importante”.

Em 2005, aos 19 anos, ele chegou na Austrália com amigos para a prática de outra modalidade, o surf. “Foi aquela ideia de pegar ondas nos melhores lugares, e também aprender um pouco de inglês, então viemos. Primeiro ficamos em Gold Coast, depois me mudei para Sydney. Só que eles voltaram, já eu fiquei. Conheci minha esposa, casei e tive filhos”.

Em 2006, ele começou a lutar na Austrália, mas estava longe do profissionalismo. Começou sua vida longe do Brasil lavando carros e treinando no tempo de sobra. As lutas que fazia no começo não pagavam nada. Com o tempo, mudou a profissão e passou a atuar na construção civil, ainda dividindo sua rotina com o treino e as lutas, que passaram a render um pouco de dinheiro.

Veja também:
DPVAT está, em média, 63% mais barato neste ano

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Acidente mata uma pessoa e interrompe trânsito na BR-470, entre Blumenau e Indaial

Mas a evolução e a dedicação do lutador renderam grandes frutos. Ele venceu por três vezes o campeonato nacional, duas vezes o estadual e uma vez o título mundial de muay thai. Foi em 2010 o ano de sua grande virada, quando passou a viver da luta profissional e ainda abriu uma academia em Sydney. “Hoje o meu ganha pão é a luta”, explica.

Regis assinou um contrato recente com a One Championship, e é uma das estrelas da competição, sendo que foi derrotado na última luta para Yodsanklai Fairtex, um dos melhores lutadores de muay thay do mundo. “No muay thai aprendemos a não desistir pelo resultado de uma luta. Lutamos todos os dias em buscas de vida saudável, paz e amor, podendo criar nossa família e ajudando pessoas, isso tudo é uma vitória maior”.

Ele volta a lutar em março pelo One Championship.