Manifestantes fazem primeiro protesto pelas ruas do Centro de Brusque

Encontro é um ''ensaio'' para manifestação marcada para o sábado, 22 de junho

Manifestantes fazem primeiro protesto pelas ruas do Centro de Brusque

Encontro é um ''ensaio'' para manifestação marcada para o sábado, 22 de junho

Sob chuva fraca e vigilância atenta da Polícia Militar, um grupo de manifestantes se reuniu nesta quinta-feira, 20 de junho, na praça Sesquicentenário, em frente à Prefeitura de Brusque. O encontro ocorreu às 18 horas, e levou cerca de 50 pessoas às ruas. 

Cobertura especial

Em meio ao grupo de manifestantes, um rapaz dava as orientações gerais. Munido de megafone, Nelson Diego Mafra, 23 anos, explicava os motivos da reunião: “Estamos aqui para trocar ideias, definir como será o protesto de sábado e debater nossas demandas”.

Galeria

Ele informa que o trajeto oficial para as manifestações já foi entregue à Polícia Militar, no entanto, deverá haver mudanças: “No documento, consta o caminho que vai do HSBC (no cruzamento da rua Lauro Müller com a avenida Getúlio Vargas) até a praça Barão de Schneeburg, mas o pessoal está pressionando para aumentarmos esse trajeto”, informa.

Segundo Mafra, a maior parte dos manifestantes quer que o trajeto seja estendido até a Prefeitura de Brusque, passando pela avenida Cônsul Carlos Renaux e pela rua Felipe Schmidt, subindo em direção à rua João Bauer. “E é o mais provável de acontecer”, garante.

Na noite de quinta-feira, o grupo realizou uma espécie de ensaio para o protesto de sábado. Faixas, cartazes e bandeiras do Brasil acompanhavam os manifestantes, que trancaram parte do trânsito na rua João Bauer e em frente à Câmara de Vereadores. Ouviam-se gritos, em uníssono, de frases como “vem pra rua vem, contra o governo vem”, “da janela não, a luta é no chão” e a promessa: “sábado vai ser maior”. Os manifestantes chegaram até a chamar a policia militar para participar do protesto: “ei, polícia, tu também és cidadão”, gritavam. 

No encontro, também foram expostas as principais demandas do manifesto: “Em Brusque, o principal é a precariedade do transporte coletivo”. Outras questões levantadas foram a situação do Hospital Azambuja e as prioridades de votação na Câmara Municipal, além das propostas de emenda constitucional (PECs) 33 e 37, em tramitação no Senado, que, segundo os manifestantes, vão facilitar a prática da corrupção. “A hora é agora de parar tudo isso, antes que seja tarde, e percamos força”, salienta o líder dos protestos da noite.

A manifestação anunciada para sábado deve começar às 11 horas. O evento foi criado pelo grupo Anonymous Brusque, com colaboração do administrador da página do Facebook Brusque Mil Grau.

Vídeos

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio