Matheus Rheine conquista uma medalha de prata e outra de bronze no Mundial do Canadá

Brusquense foi um dos destaques da delegação brasileira na competição

Matheus Rheine conquista uma medalha de prata e outra de bronze no Mundial do Canadá

Brusquense foi um dos destaques da delegação brasileira na competição

Uma medalha de prata e outra de bronze fizeram do brusquense Matheus Rheine um dos destaques da delegação Brasileira no Mundial de Natação Paralímpica, disputado em Montreal, no Canadá. 

Rheine subiu ao pódio duas vezes nas três provas que participou pela categoria S11. Ficou fora das primeiras posições apenas na dos 50 metros livres, disputado na terça-feira (13) primeiro dia da competição, mas passou perto do ouro nos 400 e 100, quando ficou com o segundo e terceiro lugar, respectivamente. 

“É uma sensação indescritível. A ordem das provas foi excelente. Os 400 é meu forte, nos 100 imaginava que poderia vir medalha. Nos 50, não fiz muitos estímulos, por ter sido no primeiro dia, a gente sente o ritmo da competição”, diz.


O nadador comemorou os bons resultados, apesar de lamentar que por pouco não trouxe o ouro para o Brasil. “Nos 100 a minha saída poderia ter sido um pouco melhor”. Ele explica que em sua categoria a maioria dos competidores sai com um pé na frente e outro atrás, mas optou por sair com os dois na frente por se sentir mais seguro. “É uma largada mais lenta e isso pode ter feito a diferença no final”.

Rheine também observou sobre o momento da virada, em que se prende um pouco na parede por causa do toque no totem. “Qualquer erro de centímetro na braçada já prejudica. Fiquei muito próximo da primeira colocação, mas pequei por detalhes que posso ir melhorando”.

O competidor, no entanto, ressalta o feito. Embora não exista conhecimento oficial da informação, Rheine foi apontado como o primeiro brasileiro cego a ganhar medalha na categoria masculino. “Estou muito feliz pelo resultado. Apesar de sempre querer mais. Por ser um Mundial, tenho orgulho de ter conquistado estas medalhas. E parece que sou o primeiro cego a conseguir isso. É maravilhoso”, comenta.

Para conquistar a medalha de prata, Rheine fez o melhor tempo de sua carreira, com 4min50s46. Nos 100 metros, quando ficou com o bronze, completou a prova em 1min01s69. “Melhorou muito meus resultados. Em 2010, no Mundial da Holanda, havia ficado em sétimo nos 400 e oitavo nos 100 metros. Meus treinos deram resultados e tudo valeu a pena”.

O brusquense chega na terça-feira ao Brasil. A próxima competição de Rheine deve ser o Brasileiro, em cerca de três semanas. O atleta também deve participar de provas nos Estados Unidos em novembro.
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio