Mc’Ju e Floripa na final do Campeonato de Futsal Livre do Sesi

Os times se enfrentam em terceira final diferente no mesmo ano

Mc’Ju e Floripa na final do Campeonato de Futsal Livre do Sesi

Os times se enfrentam em terceira final diferente no mesmo ano

A final do Campeonato de Futsal Livre do Sesi, que será realizada nessa quinta-feira, 7, marcará a terceira batalha por títulos entre Floripa e Mc’Ju neste ano. As duas equipes já haviam se encontrado nas finais do futebol de campo e do futebol suíço do Sesi. Os resultados destas outras modalidades trazem ainda mais indecisão para o confronto, e rechaçam qualquer favoritismo. Mc’Ju foi campeã no campo, mas no suíço Floripa levou a melhor. As duas finais foram decididas nos pênaltis. Os campeonatos do Sesi são disputados entre empresas, representadas por seus funcionários.

As semifinais, realizadas na última terça-feira, foram difíceis para as equipes finalistas. Se Mc’Ju e Floripa já estavam acostumadas com goleadas nas etapas anteriores, penaram para derrubar seus adversários. No jogo entre Mc’Ju e Lira, vitória apertada por 2 a 1. O placar se repetiu no duelo entre Floripa e Favo. Para o Coordenador Técnico do Sesi, Marcelo Azambuja, as semifinais foram marcadas tanto pelos bons jogos, quanto pela participação do público. “Fomos surpreendidos com um bom número de torcedores aqui. As partidas foram de alto nível técnico”, explicou Azambuja.

A disputa de terceiro e quarto lugar, que será entre Favo e Lira, está marcada para as 19h. A grande final será às 20h, na quadra do Sesi.

Defesa do título

A atual campeã do Futsal Livre, Mc’Ju, terá o direito de defender o título nesta noite. Para chegar até aqui, a equipe precisou vencer cinco partidas. Marcou 29 gols e sofreu apenas cinco. O time segue invicto após um mês de competição. Mesmo com a campanha segura, o coordenador e atleta da equipe, Alcides Klabunde, evita fazer uma projeção de resultado. “Vai ser um jogo muito apertado. Não há favoritos”, comenta.
O Mc’Ju terá três desfalques para a final. Willian e Natan lesionaram o joelho e ficarão de fora da decisão. Já o próprio Aliceu Klabunde quebrou o braço antes das quartas de final e, desde então, não entra em quadra.

O tira-teima

Para Rosimar Dunk, capitão do Floripa, o jogo vai servir como um tira-teima entre as equipes após as duas finais no campo e no suíço. “Nós vencemos uma, e eles outra. É hora de saber qual time é o melhor”, diz. Segundo o atleta, a partida contra o Favo foi a mais difícil do campeonato. “O campeonato foi afunilando e sobraram as quatro melhores equipes. Jogo difícil contra a ótima equipe do Favo, mas conseguimos a vitória”.
O Floripa também está invicto no campeonato. Foram 25 gols pró e seis contra. O Mc’Ju ‘vence’ na disputa de saldo de gols mas, segundo Dunk, no que depender dos atletas da Floripa, isto não será um fator relevante para a final. “O pensamento é em levantar a taça. Conhecemos o ponto fraco dos adversários. Nossa estratégia vai ser em cima disso”, explica.

Na bronca

O Campeonato de Futsal Livre do Sesi é voltado apenas entre os funcionários de empresas associadas ao órgão, mas, às vésperas da final, Alcides Klabunde, do Mc’Ju, reclama que estas normas foram desrespeitadas por algumas equipes. “Dos semifinalistas, só o Favo e o Mc’Ju contam com atletas funcionários de suas empresas”, diz ele. “Os demais contratam jogadores profissionais. É complicado, porque a gente trabalha e vem jogar na brincadeira”, explica. Segundo Klabunde, alguns times chegaram a desistir da competição justamente pela disparidade entre as equipes em razão de situações como a mencionada.
Em defesa, o Coordenador de Esportes do Sesi, Marcelo Azambuja, afirma que é cobrada a prova de que o atleta é profissional contratado da empresa a qual representa. “Precisa confirmar na carteira de trabalho que o jogador trabalha na empresa do time por pelo menos 60 dias. Agora, se as pessoas se dão ao trabalho de contratar um funcionário por dois meses só para disputar o campeonato, não podemos fazer nada”, explica.
Contando com a idoneidade das equipes, o Sesi não cobra esta comprovação no ato de inscrição. Isso acontece somente quando uma equipe desconfia da situação de algum atleta adversário e entra com recurso. No caso de comprovação de irregularidade nas inscrições, o time terá que pagar uma multa ao Sesi e também ficará sem participar de competições por um ano. O problema já ocorreu no ano passado. No jogo da final, a Mc’Ju entrou com recurso contra os atletas do Rosa Maria. Sagrou-se campeã devido a eliminação do time adversário.

Resultados – Semifinais
Data /  Hora/  Equipes
5/8 – 19h – Floripa 2 x 1 Favo
5/8 – 20h – Lira 1 x 2 Mc’Ju “A”

Final

Data / Hora/ Equipes
7/8 – 20h – Floripa x Mc’Ju “A”

Disputa de terceiro lugar
Data / Hora / Equipes
7/8 – 19h – Lira x Favo

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio