Membros do CVV falam sobre a prevenção ao suicídio durante sessão da Câmara

Voluntários solicitaram apoio para a instalação do posto de atendimento em Brusque

Membros do CVV falam sobre a prevenção ao suicídio durante sessão da Câmara

Voluntários solicitaram apoio para a instalação do posto de atendimento em Brusque

Os membros do Centro de Valorização da Vida (CVV) estiveram na sessão da Câmara de Vereadores de Brusque nesta terça-feira, 19, para falar um pouco sobre o trabalho da entidade na prevenção ao suicídio e também para pedir apoio para a implantação do posto do CVV no município.

Maria de Fátima Petermann, do CVV de Itapema, destacou os números de suicídio no município. De acordo com ela, até ontem, foram registrados dois suicídios em Brusque somente neste mês. “Tivemos 19 dias do mês de setembro, e dois suicídios na cidade, fora aqueles que não foram contabilizados, é um índice bastante alto”, diz.

Segundo ela, o suicídio já é considerado de um problema de saúde pública, já que ano após ano, os casos registrados tem aumentado no país. A cada 40 segundos, uma pessoa se suicida no mundo. Já no Brasil, a cada 45 minutos, uma pessoa tira a própria vida.

“A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera ‘normal’ até quatro suicídios por 100 mil habitantes. Brusque teve em 2012 16 suicídios e na época tinha pouco mais de 100 mil habitantes. No Brasil, são 7 suicídios por 100 mil habitantes e em Santa Catarina o índice é de 12 por 100 mil. Isso é preocupante, é um caso de saúde pública”.

O posto de Brusque está em tratativa para iniciar o atendimento na cidade desde o início do ano. Hoje, o CVV de Brusque já conta com voluntários treinados, porém, ainda não tem uma sede para iniciar os trabalhos efetivamente.

“Precisamos de um espaço físico. Uma sala dividida, com luz, água, telefone, e uma sala de reuniões onde possamos realizar os treinamentos e capacitações”.

Maria de Fátima diz ainda que até o fim de setembro, os 12 postos do CVV em Santa Catarina passarão a atender pelo número 188 disponibilizado pelo Ministério da Saúde e que possibilita que as pessoas entrem em contato com a entidade gratuitamente.

Hoje, a entidade conta com 81 postos de atendimento no Brasil e dois mil voluntários que realizam uma média de um milhão de atendimentos por ano.

“É urgente que Brusque tenha seu posto de atendimento aberto para atender a população. Somos treinados e capacitados para conversar com outras pessoas sem julgar, sem dar conselho, sem apontar o dedo. Estamos ali para ouvir, para deixar as pessoas falarem de seus sentimentos sem interrupções”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio