Meta é economizar 5% de energia elétrica com horário de verão

No ano passado, Santa Catarina não atingiu a marca por conta do verão intenso

Meta é economizar 5% de energia elétrica com horário de verão

No ano passado, Santa Catarina não atingiu a marca por conta do verão intenso

O horário de verão começa a valer a partir no próximo domingo, dia 19. Habitantes das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país deverão adiantar o relógio em uma hora. Em Santa Catarina, apesar de não ter conseguido atingir a meta no ano passado, a Celesc estabeleceu novamente o patamar de 5% de economia a ser alcançado.

O gerente regional da Celesc, Cláudio Varela, diz que no ano passado foram registrados vários picos de energia devido ao calor intenso do verão. “Para agüentar a demanda, nós estamos ampliando a capacidade de energia de Brusque em 25%”, afirma. Ele diz que mesmo sem isso o sistema já suportaria as 54 mil unidades do município.

Embora o horário de verão permita que a iluminação natural perdure por mais tempo, reduzindo o tempo em que lâmpadas ficam ligadas, Varela diz que para haver uma economia maior de energia é preciso de colaboração das pessoas. “Tem pessoas que ficam com o ar-condicionado ligado com a temperatura muito baixa, ou deixam as luzes sempre acesas. Isso é desperdício. É preciso mudar a cultura do povo”, diz. Varela explica que, se a meta de 5% for alcançada, ao final do período terá sido poupada a quantidade de eletricidade suficiente para sustentar uma cidade como Gaspar por 30 dias.

Esta edição do horário de verão terá uma semana a mais do que o normal. Geralmente, a mudança nos relógios ocorre no terceiro domingo de outubro e termina no terceiro domingo de fevereiro. No entanto, em 2015 a data final coincidirá com o Carnaval, por isso o governo decidiu adiar até o dia 22 de fevereiro. Com isso, serão 126 dias no horário especial, enquanto que em 2013/2014 foram 119.

A redução do consumo torna-se mais necessária com a estiagem que afetas as regiões Centro-Oeste e Sudeste do país, diz Varela. Com menos chuva nestas localidades, a capacidade de produção de energia diminui, com isso, é necessário recorrer às usinas termelétricas para suprir a demanda. Mas essa energia é mais cara do que a hidrelétrica, por isso houve um aumento no meio do ano na faturas dos consumidores.

Regiões escolhidas

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste são escolhidas para aderir ao horário de verão pela sua posição geográfica. Um estudo do Operador Nacional do Sistema (NOS) indicou que o impacto no Norte e Nordeste não compensaria.

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio