Conteúdo exclusivo para assinantes

Michel Belli deixará CDL de Brusque para se dedicar à campanha e aos estudos

Ele cumprirá o mandato até o fim do ano e depois trabalhará para as eleições de 2018

Michel Belli deixará CDL de Brusque para se dedicar à campanha e aos estudos

Ele cumprirá o mandato até o fim do ano e depois trabalhará para as eleições de 2018

Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Brusque, Michel Belli deixará o cargo no fim deste ano. Já pré-candidato do PPS a deputado federal, ele diz que não quer causar desconforto à entidade, que tem como pedra fundamental ser apartidária, por isso tomou a decisão.

Belli foi eleito para a presidência da CDL no final de 2015 e assumiu o seu primeiro mandato no biênio 2016-2017. Tradicionalmente, os presidentes são reeleitos, mas ele decidiu retirar o seu nome após uma série de reuniões.

O empresário e atual presidente diz que a CDL sempre se posicionou sem vinculação partidária. Ele admite que a visibilidade do cargo é interessante politicamente, mas diz que prefere se afastar em respeito à entidade, na qual tem atuação desde 2011.

“Vou retirar o meu nome para me dedicar à campanha e ao meu mestrado”, diz Belli. Ele cursa Marketing e Direção Comercial, no Uruguai. A cada seis meses, passa duas semanas no país para estudar.

No ano que vem, o curso deve consumir ainda mais do seu tempo, pois ele terá de desenvolver o artigo científico. Com a campanha, a empresa e o curso, Belli diz que seria muita coisa para dar conta, por isso o afastamento vem em boa hora.

O empresário Fabrício Zen, que já foi presidente da CDL, aceitou assumir o cargo, segundo Belli. Zen, portanto, provavelmente será o sucessor dele.

Foco na campanha
Belli já trabalha na pré-candidatura pelo PPS, contudo, a campanha deve começar a valer no ano que vem. Embora esteja de saída da CDL de Brusque, ele diz que continuará a defender o associativismo.

“Meu foco será o associativismo e o empreendedorismo na campanha”, afirma o presidente. Antes de assumir o cargo, Belli já foi da CDL Jovem e vice-presidente da entidade.

Segundo Belli, a decisão de se afastar da presidência para se dedicar à campanha faz parte da “nova política”. Ele avalia que começar na política partidária “se aproveitando” seria antiético e um comportamento a ser combatido.

Avaliação
O presidente da CDL avalia positivamente os dois anos à frente da CDL. Ele afirma que aprendeu muito sobre como funciona o setor público, e essa experiência servirá para caso ele seja eleito em 2018.

Belli diz que o contato com a Federação das CDLs do estado foi importante, pois conheceu também sobre o funcionamento da Assembleia Legislativa.

O presidente da CDL diz que, nestes dois anos, participou de várias reuniões com empresários e representantes do poder público e de entidades setoriais, o que lhe proporcionou aprendizado. A conclusão a que ele chegou é que o setor público pode colaborar mais, porém, para isso é preciso ter pessoas que façam isso.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio