Mobilização conscientiza sobre os perigos da dengue

Ação nacional também foi realizada em Brusque no sábado; 15 sacos de lixo foram recolhidos da avenida Beira Rio

Mobilização conscientiza sobre os perigos da dengue

Ação nacional também foi realizada em Brusque no sábado; 15 sacos de lixo foram recolhidos da avenida Beira Rio

O sábado, 7, foi o “Dia D de Combate a Dengue”, mobilização realizada em todo o Brasil para conscientizar a população sobre os perigos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença que pode levar à morte.

Em Brusque, a mobilização aconteceu na praça Barão de Schneeburg, durante o Sábado Fácil. A Vigilância Epidemiológica repassou orientações à população e lembrou da importância da colaboração de todos os brusquenses para que o mosquito da dengue não se prolifere na cidade. “Pensamos em atividades que pudessem impactar a população e fazer todos refletirem sobre a importância de cuidar e evitar a dengue”, afirma a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Fernanda Lippert.

Além da ação realizada na praça, outro grupo percorreu os cinco quilômetros da avenida Beira Rio para recolher o lixo jogado nas margens. “Nesta ação tivemos a ajuda da Defesa Civil. Recolhemos em torno de 15 sacos de lixo, e tudo isso deixamos de exposição na praça durante o sábado para a população ver e poder ser orientada”, diz.

A principal orientação repassada pela vigilância epidemiológica foi não deixar água parada. “Repassamos, principalmente, como eliminar a água parada e metodologias para que a população não peque no dia a dia e evite a procriação de mais mosquitos”.

Até agora, Brusque registrou cinco focos do mosquito em 2015. O número representa quase a metade do que foi registrado durante todo o ano passado. “No ano passado terminamos com 12 focos. Neste ano já são cinco e estamos apenas no início do mês de fevereiro”, destaca.

De acordo com ela, a tendência é que o número de focos aumenta ainda mais. “A quantidade de chuva que tem ocorrido e o calor que está fazendo facilita muito a procriação do Aedes aegypti, são as condições ideais para o mosquito. Temos que abrir o olho, e a população precisa nos auxiliar senão não vamos dar conta e corremos o risco de perder o controle”, alerta.
Situação em SC

Na quinta-feira, 5, foi confirmado o primeiro caso da doença em Brusque. Uma mulher moradora do bairro Maluche contraiu a doença durante uma viagem no início do ano, por isso, a vigilância epidemiológica considera o caso como importado. “Ela viajou para o Rio de Janeiro e depois foi para a praia de Perequê, em Porto Belo. Os sintomas começaram no dia 26 de janeiro, estamos investigando para saber em qual das duas cidades ela contraiu a doença”, afirma.

O último boletim divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) na sexta-feira, 6, mostra que o número de casos confirmados da doença em Santa Catarina passou para 92.
Desse total, 60 são autóctones – transmitidos dentro do próprio estado -, todos infectados em Itajaí. O levantamento também mostra que há o registro de 11 casos importados – contraídos em outros estados/países -, registrados em Araranguá (1), Balneário Barra do Sul (1), Florianópolis (1), Guaramirim (1), Itajaí (1), Três Barras (1), São José do Cedro (1), Blumenau (1) e de moradores de outros locais do Brasil diagnosticados em Santa Catarina (3). Há, ainda, cinco casos confirmados em investigação para determinar a origem, notificados em Brusque (1), Florianópolis (1), Itajaí (1) e Joinville (2).

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio