Moradores da rua Luiz Zen estão preocupados com ataques do cão

Nesta semana, vizinhos tiveram que ajudar uma criança que quase foi mordida pelo animal

Moradores da rua Luiz Zen estão preocupados com ataques do cão

Nesta semana, vizinhos tiveram que ajudar uma criança que quase foi mordida pelo animal

Moradores da rua Luiz Zen, no bairro Limeira Baixa, estão assustados com um cachorro da raça pitbull que, por várias vezes, já tentou avançar em adultos e crianças que passam pelo local.

O último caso aconteceu no início da semana, quando o cachorro, por pouco, não atacou um menino de 10 anos. A mãe do menino, Joseane de Oliveira, conta que o filho estava retornando da casa da tia, que mora na mesma rua, e quando foi passar pela casa, o pitbull saiu para a rua e foi em sua direção.

De acordo com Joseane, por pouco o seu filho não foi atacado. Um vizinho ajudou a criança jogando pedras no cachorro para afastá-lo. “O vizinho começou a jogar pedras e falou para o meu filho correr. Ele voltou para a casa da minha irmã e contou o que aconteceu. A minha irmã foi até lá e também não conseguiu passar”, diz.

Veja também:
Após decreto, lojas de armas registram alta procura em Brusque

Em 2018, número de mortos no trânsito em Brusque foi o menor dos últimos seis anos

CDL e Sindilojas pedem fiscalização de lojistas e ambulantes em Brusque

Joseane diz que esta não é a primeira vez que o cachorro ataca as pessoas, inclusive seus filhos. “É a terceira vez que ele tenta atacar meus filhos. Se não fosse os vizinhos ajudarem, não sei o que poderia ter acontecido”.

A Polícia Militar foi acionada e Joseane também fez um boletim de ocorrência para registrar a situação.

Ileuza Placibino é vizinha dos tutores do cachorro. Ela diz que todos os moradores da rua têm medo do animal porque ele é muito bravo. “Eles até amarram ele, mas eles saem e o cachorro arrebenta a corrente. A frente da casa deles não tem cerca e ao lado tem um buraco por onde ele passa tranquilamente”, afirma.

A moradora conta que ela também quase já foi atacada pelo cão. “Um dia eu estava voltando da casa da vizinha e o cachorro me cercou. Eu tive que ligar para o meu marido me buscar de carro porque fiquei com medo de passar. Não sei como ele ainda não mordeu ninguém, mas se continuar assim, vai acontecer”, diz.

De acordo com ela, as agentes de saúde da prefeitura também não passam mais na rua porque têm medo de serem atacadas pelo cão.

Veja também:
Moradores de Guabiruba ficam quase 14 dias consecutivos sem água

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Polícia Militar encontra arma relacionada à morte de adolescente em Blumenau

Joseane e Ileuza dizem que já conversaram com os tutores do cachorro e pediram providências, mas o caso ainda não foi resolvido. “Só eu já falei com eles três vezes. Eles tratam a gente bem, dizem que vão arrumar a cerca, mas que o cachorro não sai para rua. Mas eles sabem que saem, eu mesmo já gravei um vídeo de um dia quando o cachorro escapou”, conta Ileuza.

Yanka dos Santos é a tutora do pitbull. De acordo com ela, Murruga tem três anos e é uma mistura de labrador com pitbull. À reportagem, ela disse que o cachorro assusta mais pelo tamanho, mas que não é bravo.

“Eu soube do que aconteceu, os vizinhos vieram me falar. Já pedi desculpas e estamos fazendo o possível. Vamos construir um canil para ele, assim não vai mais escapar”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio