Moradores denunciam caça de capivaras no Jardim Maluche

Autoridades ambientais dizem 'não poder fazer nada', se não houver denúncias aos órgãos competentes

Moradores denunciam caça de capivaras no Jardim Maluche

Autoridades ambientais dizem 'não poder fazer nada', se não houver denúncias aos órgãos competentes

Por meio das redes sociais, moradores do bairro Jardim Maluche denunciaram a caça ilegal de capivaras no bairro. Os animais, que são protegidos pela lei ambiental, vivem às margens do rio Itajaí-Mirim, e comumente são vistos circulando no perímetro urbano de Brusque.

A denúncia foi feita por Deonila Baumgartner. Ela afirma ter ouvido tiros sendo disparados e gritos, nas proximidades da sua casa, na rua Francisco Sassi. Deonila conta que seu genro, André Paulo Rubik, foi verificar os barulhos e encontrou uma capivara ferida. “Ele se deparou com uma capivara dando seus últimos suspiros de vida”, conta.

Para a família, o ferimento nas costas foi de um tiro de arma de fogo. Esta foi a primeira vez que encontraram uma capivara morta, mas os disparos, segundo ela, são frequentes na região. “Acredito que se o André não tivesse ido procurar a capivara, os caçadores teriam encontrado ela. Essa não foi a primeira vez que ouvimos o barulho de tiros, é bastante comum aqui”, explica.
Legislação deveria proteger animais

A Lei Ambiental 9.605 estabelece que matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécies da fauna silvestre, nativas ou em rota migratória é crime punível com detenção de seis meses a um ano e multa. O superintendente da Fundação do Meio Ambiente (Fundema) de Brusque, Diego Furtado, afirma que a aplicação de multa está condicionada a diversos fatores, como quantidade e espécie de animais caçados, além de escolaridade e poder aquisitivo do responsável pela caça. “O processo pode ser feito através da Fundema e até mesmo do Ministério Público”, explica.
Policia Ambiental precisa de denúncias para agir

Segundo o subtenente da Polícia Ambiental de Blumenau, Ivan Burgonovo, não existe nenhum registro de caça ilegal a animais silvestres feito nas proximidades do rio Itajaí-Mirim. Burgonovo revela que a única cidade da região em que foram apresentadas denúncias de caça ilegal é Guabiruba. “Não temos registro em Brusque. Assim como a Fundema, a Polícia Ambiental também recebe mais denúncias de aves mantidas ilegalmente em cativeiro. Porém, o principal crime ambiental é em relação a poluição dos recursos hídricos, de estações de tratamento de efluentes”, diz.
>> Leia matéria completa na edição de terça-feira, 3 de dezembro, do Jornal Município Dia a Dia

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio