Moradores do Azambuja aguardam reconstrução de calçada há três anos

Partes das calçadas foram retiradas para implantação de galerias

Moradores do Azambuja aguardam reconstrução de calçada há três anos

Partes das calçadas foram retiradas para implantação de galerias

Há três anos a aposentada Maura Maria das Graças Tormena, 67 anos, moradora na rua Azambuja, tem dificuldade em entrar e sair do pátio de sua própria residência. Com as obras de macrodrenagem do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), na bacia Azambuja, foram retiradas partes das calçadas da rua para a colocação de galerias pluviais e algumas, como as da frente da casa de Maura, não foram reconstruídas.

A extensão da área não é grande – são cerca de 35 metros, onde ficam três residências -, no entanto, a situação é mais crítica para a aposentada pois ela é diabética e não consegue locomover-se sem o auxílio de um andador e de uma bengala.

Dona Maura, que mora na rua desde a década de 80, alega que outros pontos da obra já receberam a recolocação do passeio. “Quando eles falaram que iriam tirar a calçada se comprometeram a colocar logo. Já faz três anos e nada”.

Com 40 anos a aposentada descobriu que era diabética e desde então faz uso de insulina. A doença afetou seus movimentos e sua mobilidade hoje é reduzida.

Marise Tormena Smanioto é filha de Maura e afirma estar preocupada com a situação. Ela conta que os filhos ficam apreensivos e temem que a mãe possa cair e se machucar. “Ela já chegou a cair, o que não queremos é que aconteça algo mais sério. Além da minha mãe, sabemos que algum pedestre também pode cair e se machucar”, diz Marise.

Recuperação das calçadas

A Secretaria de Obras afirma que nesta semana fará a recuperação da calçada neste trecho. A pasta informa que a macrodrenagem é uma obra grande e foi realizada em várias etapas. Segundo a secretaria, a recuperação depende das condições climáticas.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio