Moradores dos bairros Santa Terezinha, Santa Rita e Steffen cobram Rio Vivo para solucionar os problemas de mau cheiro

Empresa se defende e afirma que nada afeta o rio Itajaí-Mirim ou danos a saúde humana

Moradores dos bairros Santa Terezinha, Santa Rita e Steffen cobram Rio Vivo para solucionar os problemas de mau cheiro

Empresa se defende e afirma que nada afeta o rio Itajaí-Mirim ou danos a saúde humana

Os moradores dos bairros Santa Terezinha, Santa Rita e Steffen vivem um problema em comum: o mau cheiro que as atividades da Rio Vivo, empresa de tratamento de efluentes industriais, deixam no ar. 
A superintendente da Fundema, Eudez Pavesi, diz que desde 2009 há conversas com a Rio Vivo para que seja adotada uma solução. 

Em novembro houve dois encontros entre comunidade, Fundema e Rio Vivo e a empresa apresentou uma série de propostas, comprometendo-se a por um fim no problema em seis meses.

A primeira visita da comissão ocorreu em 13 de dezembro e no local, foi registrado como foi encontrada a empresa, e o mau cheiro intenso.
A segunda visita está agendada para acontecer nesta semana e a terceira, acontecerá em março. 

Por meio da assessoria de imprensa a Rio Vivo informou que o mau cheiro ocorre pois os corantes e matérias-primas utilizadas pelas indústrias têxteis, no tingimento dos tecidos, são compostos a base de enxofre. 

A empresa também destacou que não ocorre contaminação do rio Itajaí-Mirim e tampouco, o odor forte que sai da sua estação de tratamento de efluentes causa danos a saúde humana.

**Confira a opinião dos moradores e dos responsáveis pela Fundema e Rio Vivo na edição impressa do Jornal Município desta terça-feira, 31 de janeiro. 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio