Moradores reclamam de demora em obra contra cheias no Guabiruba Sul

Prefeito Matias Kohler diz que prefeitura solucionará o problema a partir da metade deste ano

Moradores reclamam de demora em obra contra cheias no Guabiruba Sul

Prefeito Matias Kohler diz que prefeitura solucionará o problema a partir da metade deste ano

Os moradores da rua José Rothermel, no bairro Guabiruba Sul, reclamam de que a prefeitura ainda não solucionou o problema de cheias na localidade. Segundo eles, o caso já se arrasta há anos e houve promessas – não cumpridas – do poder público. A administração municipal alega falta de dinheiro e promete uma solução até o segundo semestre.

O problema na rua José Rothermel é antigo, segundo prefeito Matias Kohler. O Município Dia a Dia fez reportagem sobre a situação em 2012 e em fevereiro de 2014, após algumas casas serem invadidas pela água.

Os alagamentos iniciaram após a construção de uma casa e de um restaurante sobre o curso d’água. Hoje, a água está canalizada, mas a tubulação não dá conta do volume, segundo o prefeito e a secretária de Meio Ambiente, Bruna Eli Ebele. Com isso, a água invade as casas.

Em janeiro deste ano, a água voltou invadir a residência de Adelmo Grabner, um dos moradores mais atingidos pelo problema. Em 2014, ele havia perdido todo o estoque de malha da confecção.

Neste ano, após novo alagamento, Grabner resolveu construir um muro de contenção atrás de sua casa. Segundo ele, é para a proteção da residência. Ele cobra a colocação de galerias no início da rua, onde ficava o curso d’água. “A prefeitura sempre vai dizer que tem um prazo, mas esse prazo é de 2014”, diz.

Além de Grabner, outros moradores também reclamam dos alagamentos e da falta de solução. Paulo Rocha diz que já perdeu móveis por causa da chuva. “Está uma novela, estamos completando nove anos com essa situação”.

“A prefeitura, tanto o Orides [ex-prefeito] quanto o Matias, sempre diz que vai resolver amanhã”, afirma. “Quando chove, eles vêm aqui, mas esse amanhã nunca chega”, completa.

Outro residente, João Alexandre afirma que, em janeiro, apenas por 2 centímetros não entrou água na sua casa. Ele diz que falou com gente da prefeitura, mas até agora nada foi feito.

Verci Martins diz que o problema na casa dele começou faz cerca de dois anos. Segundo ele, o motivo dos alagamentos fica na entrada da rua, perto do restaurante, e ele quer que seja tomada uma providência.

Solução em breve
Kohler diz que a prefeitura solicitou ao governo federal R$ 250 mil para a colocação de uma galeria maior a rua. “Esperamos que [a obra] seja contemplada no primeiro semestre”. Caso a União conceda a verba, a prefeitura buscará fazer a obra com recurso próprio.

Com o dinheiro, será necessário entrar em consenso com o dono do restaurante, para que a galeria possa ser feita. A prefeitura já tem tratativas iniciadas com donos de imóveis para viabilizar a obra.

Morador multado
Grabner reclama que foi multado pela prefeitura, semana passada, porque está construindo um muro atrás da sua casa. Ele recebeu uma notificação para destruí-lo em 20 dias e terá de pagar R$ 1 mil. O morador alega que apenas defende a sua propriedade da água.

No entanto, a secretária de Meio Ambiente esclarece que o muro da casa de Grabner está em Área de Preservação Permanente (APP), a menos de 30 metros do ribeirão. Isso é proibido pela lei de recuos.

A pasta tomou conhecimento da situação e aplicou a multa. De acordo com Bruna, Grabner não autorizou a entrada dos fiscais, por isso, na quinta-feira, 2, eles adentraram o terreno com a presença da Polícia Militar.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio