Moradores reclamam de placas com erro de grafia

Placas de identificação foram substituídas em vários pontos de Brusque com grafia errada

Moradores reclamam de placas com erro de grafia

Placas de identificação foram substituídas em vários pontos de Brusque com grafia errada

Os moradores da rua Luiz Alves Gevaerd, no bairro São Luiz, estão insatisfeitos com a troca da placa de identificação da rua. Há algumas semanas, a empresa D2 Distribuidora – responsável pelo trabalho – substituiu a placa antiga por uma nova, no entanto, a placa atual está com o nome da rua errado.

De acordo com a nova placa, a rua passou a se chamar Alves Geaverd. “Foi suprimido o Luiz e ainda deixaram o sobrenome com a grafia errada”, reclama o morador José Mario Modesti.

Segundo ele, a antiga placa estava visível e correta, e portanto, a troca não precisaria ter sido feita imediatamente.
“Antes de terem feito e trocado, deviam ter deixado a antiga que pelo menos estava correta. Aí eles foram lá, tiraram a certa e colocaram a nova e errada. Se eu der o nome da minha rua, ninguém vai encontrar porque ela não existe mais”, diz.

Modesti afirma ainda que a grafia da placa errada pode prejudicar a entrega de correspondências no local. “Alguns vizinhos estão reclamando que não estão mais recebendo correspondências. Na antiga placa tinha o CEP da rua, agora não tem mais e está escrito errado. Não temos mais ponto de referência. Alguma coisa tem que ser feita”, diz.

Assim como na rua de Modesti, outras placas estão com a grafia errada em vários pontos da cidade. Um exemplo é a rua Edgar von Buettner, no bairro Bateas, que na altura da rua Bertoldo Todt está grafada como Edgar von Buettener, ou ainda a rua Portugal, no Loteamento Malossi, grafada como rua Portugual. Já no bairro Jardim Maluche, próximo à Sancris, a rua Reinoldo Kuchembecker está grafada como Kuchenbecker.

O Instituto Brusquense de Planejamento (Ibplan) informa que nas últimas semanas também recebeu denúncias de problemas em placas da rodovia Ivo Silveira, grafada como Ivo da Silveira; Dorval Luz, no bairro Santa Terezinha, como Dorival Luz, e professor Francisco Bodenmüller, no Centro, como Dodenmüller.

O diretor-presidente do Ibplan, Laureci Serpa Júnior, afirma que a confecção das placas é de responsabilidade da D2 Distribuição, e que antes de serem trocadas, não há uma revisão da prefeitura sobre a grafia. “A empresa produz as placas. Não tem esse trabalho de revisão pelo Ibplan porque é um trabalho simples, não deveria ter erros”.

Segundo ele, as placas erradas começaram a surgir agora. “Não tínhamos esse problema antes. Agora, com a substituição, muitas pessoas estão reclamando, está tendo uma sequência de erros nesse período”.

Ele ressalta que o prazo para a empresa substituir a placa errada leva, em média, 30 dias. “Se recebemos o comunicado em janeiro, o nosso combinado com a empresa é resolver até o fim de fevereiro. Todas as placas que foram substituídas erradas devem ser trocadas em breve”, garante.

Quem teve a placa de sua rua substituída errada pode entrar em contato com o Ibplan pelo e-mail ibplan.placas@brusque.sc.gov.br e solicitar a troca.

Sobre o contrato

Em 2012, a prefeitura concedeu à D2 Distribuidora o direito de explorar comercialmente o espaço de publicidade fixado acima dos nomes das ruas nas placas do município. Para isto, a empresa teria de substituir as placas já existentes, instalar as que ainda faltavam e realizar a manutenção de todas elas. Daquele ano até o dia 12 deste mês, 2.822 modelos foram instalados.

Um jogo de placas, composto por um tubo de ferro, por duas placas indicando os nomes das ruas e por um espaço em cima para publicidade, custariam R$ 300,00 aos cofres públicos. Com o contrato firmado, a prefeitura não precisa arcar com os valores. A D2 é quem paga R$ 2 mil mensais à prefeitura para explorar a publicidade. O contrato estende-se até 2017, prorrogável uma vez por igual período.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio