Mortes no trânsito de Brusque aumentam 71% em 2016

Polícia Militar promete intensificar fiscalizações no segundo semestre para frear os índices

Mortes no trânsito de Brusque aumentam 71% em 2016

Polícia Militar promete intensificar fiscalizações no segundo semestre para frear os índices

A promessa da Polícia Militar de Brusque é intensificar as fiscalizações da Lei Seca no segundo semestre deste ano. Afinal, os primeiros setes meses registraram 12 mortes no trânsito do município, o que representa um aumento de 71% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando aconteceram sete mortes. Dos acidentes, quatro estavam em automóveis e quatro em motocicletas. Outros três eram pedestres e um era ciclista.

Segundo levantamento da Polícia Militar, a pedido do Município Dia a Dia, a principal causa dos acidentes é a falta de atenção tanto dos condutores como dos pedestres. Associado a isso, está o excesso de velocidade e ainda, a embriaguez ao volante.

O major da Polícia Militar, Otávio Manoel Ferreira Filho, responsável pelo setor de trânsito, afirma que o fator álcool foi a causa predominante em dois acidentes graves – na rua Gustavo Halfpap e na rodovia Gentil Battisti Archer -, que resultaram em quatro mortes.

“Mas, geralmente, as causas dos acidentes são por dirigir sem a devida atenção e os cuidados indispensáveis à segurança, somado à velocidade e ao uso do álcool. Já a causa das mortes, geralmente é devido ao uso inadequado do capacete de segurança (cinta aberta ou excessivamente frouxa) para os motociclistas e a falta do cinto de segurança nos bancos da frente ou de trás nos automóveis”, explica.

Os dias da semana em que mais ocorreram acidentes no primeiro semestre do ano foram no sábado, com cinco, seguido das segundas, terças e quintas-feiras, com dois cada dia, e um na quarta-feira. Os horários mais propícios para os acidentes foram entre 19h e meia-noite.

Para o comandante do 18º Batalhão da PM, tenente-coronel Moacir Gomes Ribeiro, o “trânsito é um desafio”, pois é necessário fiscalizar e conscientizar os motoristas de que o trânsito mata e deixa sequelas. “Mas é uma tarefa complicada, porque o brasileiro extrapola, pois não acredita nesse risco. Infelizmente, só muda a atitude quando acontece alguma fatalidade na família”, lamenta.

Segundo o tenente-coronel, os índices de mortes no trânsito de Brusque tem muito a ver com a cultura dos condutores. “É algo cultural e que precisa ser mudado, por isso nosso foco em conscientizações também está mudando, e estamos começando pelas crianças, com o Proerd e Transitolândia, para que as crianças se tornem adultos responsáveis”.

Ele ressalta que a Polícia Militar tem realizado operações de trânsito dentro do possível, devido ao efetivo do batalhão. Geralmente, durante a realização de grandes eventos no município, são quando as operações de Lei Seca são realizadas. “Às vezes diminuímos a frequência das fiscalizações, mas quando fazemos, elas são com mais qualidade”, diz.

Impunidade

O primeiro acidente fatal deste ano, que resultou nas mortes de Fabiano Bonetti, 33 anos, e Ronivaldo Fritzen, 31, no dia 9 de janeiro, gerou muita comoção devido à forma trágica como aconteceu. A família chegou a realizar duas manifestações na rodovia Antônio Heil para chamar a atenção das autoridades.

Odair José Bonetti, 37, irmão de Fabiano, afirma que não considera um acidente o que houve com o irmão e com o amigo, mas sim um assassinato. “O motorista [Lorival da Rocha, 38] perseguiu e bateu de propósito”, afirma. O acusado nega.

Para Odair, os índices de mortes no trânsito de Brusque são reflexos da impunidade aos motoristas. “Nossas leis favorecem o criminoso. Os justos têm apenas os deveres a cumprir, já os bandidos têm todos os direitos a seu favor. Por isso ocorrem tantas mortes, pois as pessoas têm a certeza de que não vai acontecer nada”, lamenta.

Ele lembra que apesar da Lei Seca ser um avanço, em alguns casos, após a prisão em flagrante, cabe o pagamento de fiança, para que os motoristas possam responder o processo em liberdade. “Nisso eles permanecem cometendo o mesmo crime. Bebem e voltam a dirigir e fazem novas vítimas”.

O processo contra o motorista ainda está em andamento e ele está sendo indiciado por homicídio doloso – quando há a intenção de matar. Porém, o motorista permanece em liberdade.

Semana Nacional do Trânsito

O comandante da PM, tenente-coronel Moacir Gomes Ribeiro, afirma que em setembro será realizada a Semana Nacional do Trânsito. Várias instituições do município, em parceria, organizarão campanhas de conscientização aos motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres.

Entre as ações, serão realizadas blitze educativas pela PM e Guarda de Trânsito de Brusque (GTB).

Além disso, o comandante afirma que a partir do segundo semestre as operações serão intensificadas, pois com o verão se aproximando, a ingestão de bebidas alcoólicas aumenta. “Vamos dar prioridade para que sejam realizadas as blitze de Lei Seca e, consequentemente, fazer com que esses números de mortes não aumentem”, garante.

MORTES

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio