Fraude: Mulher tem empresa aberta em seu nome sem autorização

Segundo o Serasa Experian, golpe é um dos mais comuns entre os consumidores

Fraude: Mulher tem empresa aberta em seu nome sem autorização

Segundo o Serasa Experian, golpe é um dos mais comuns entre os consumidores

Uma moradora do bairro Nova Brasília, de 50 anos, registrou boletim de ocorrência nesta segunda-feira, 15, após ter recebido uma correspondência dos Correios relacionada a uma empresa aberta em seu nome.

Ela afirma, no entanto, que nunca foi empresária e não cedeu seus dados pessoais para alguém abrir uma, portanto, acredita ter sido vítima de fraude.

Golpes no mercado

Entre as principais tentativas de golpe apontadas pelo indicador da Serasa Experian em pesquisa divulgada nesta semana está o uso de dados roubados para a abertura de empresa, que serviriam de ‘fachada’ para a aplicação de golpes no mercado. Veja outros golpes comuns:

  • Emissão de cartões de crédito: o golpista solicita um cartão de crédito usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “conta” para a vítima e o prejuízo para o emissor do cartão;
  • Financiamento de eletrônicos (Varejo) – o golpista compra um bem eletrônico (TV, aparelho de som, celular etc.) usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a conta para a vítima;
  • Compra de celulares com documentos falsos ou roubados;
  • Abertura de conta: golpista abre conta em um banco usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “conta” para a vítima. Neste caso, toda a “cadeia” de produtos oferecidos (cartões, cheques, empréstimos pré-aprovados) potencializa possível prejuízo às vítimas, aos bancos e ao comércio;
  • Compra de automóveis: golpista compra o automóvel usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “conta” para a vítima;
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio