No Almoço de Ideias da Acibr, palestrante afirma que economia do Brasil tende a melhorar

Evento ocorreu na Sociedade Bandeirante e reuniu cerca de 250 empresários

No Almoço de Ideias da Acibr, palestrante afirma que economia do Brasil tende a melhorar

Evento ocorreu na Sociedade Bandeirante e reuniu cerca de 250 empresários

O Brasil já começa a esboçar uma reação econômica e é hora de os empresários estarem preparados para aproveitar a mudança. Esta foi a principal mensagem proferida por Marcelo Piragibe, professor, economista e consultor de empresas que palestrou no Almoço de Ideias na sexta-feira, 12. O tradicional evento realizado pela Associação Empresarial de Brusque (Acibr) ocorreu na Sociedade Bandeirante e reuniu cerca de 250 associados.

O tema da palestra de Piragibe foi “Como se preparar para o novo ciclo econômico”. Numa apresentação de aproximadamente 45 minutos, ele indicou que os empresários devem pensar a sua empresa agora, mas voltados para o futuro. Porque, na visão dele, o Brasil está prestes a entrar numa nova era de crescimento econômico.

Piragibe apresentou dados econômicos que mostram que a economia brasileira vinha sofrendo sucessivas perdas nos últimos trimestres, mas, neste último, a tendência mudou. Até houve queda, mas foi menor, por isso, ele disse aos empresários que estejam com “a casa em ordem”, para poder aproveitar os ventos melhores que estão por vir.

O economista e professor também comentou sobre os motivos que levaram o Brasil a este ponto – no qual o Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todas as riquezas do país, encolhe e o desemprego se alastra. Ele afirmou que o país começou a correr em velocidade acelerada em 2002, porém, já em 2004 apresentou cansaço.

De acordo com Piragibe, o Brasil deveria ter parado e realizado as famosas reformas tributária, previdenciária e política. Não foi feito, e assim o país caminhou até 2008. Novamente, deu sinais de esgotamento, contudo, o governo resolveu apostar no crédito. “Alavancou-se com o crédito a economia, enquanto o mundo parava e se repensava. O que aconteceu é que hoje estamos na UTI”, disse.

Segundo o palestrante, o país dá mostras de que irá melhorar. Do ponto de vista empresarial, é hora de ajustar a casa para poder aproveitar as oportunidades. Uma delas é o mercado exterior, que se apresentará mais propício.

“Ficamos muito tempo acostumados com um Brasil que estava sendo alavancado pelo crédito, mas agora tem que trabalhar. Para nós, em Santa Catarina, exportação é uma das soluções”, afirmou.

O palestrante também destacou a presença dos empresários. “Por estarem aqui, já são pessoas que têm um consciência diferenciada. Que consciência é essa? Refletir para melhorar. Se eu tenho o conhecimento e sei como funciona, eu mudo”, disse Piragibe.

Mudanças e público

Esta foi a 15ª edição do Almoço de Ideias, e ela foi marcada por alterações na formatação do evento. A principal delas é o dia de realização, que mudou para a sexta-feira. De acordo com o presidente da Acibr, Halisson Habitzreuter, uma pesquisa entre os associados indicou que este é o melhor dia, pois as pessoas estão mais à vontade.

Além disso, a programação foi invertida, com o almoço e troca de ideias antes da palestra, que iniciou às 13h. Isto também foi feito baseado na pesquisa entre os associados. O resultado foi um salão lotado no Bandeirante, o que foi comemorado por Habitzreuter.

Ele também destacou a parceria com a Faculdade São Luiz para a realização do Almoço de Ideias. “O palestrante Marcelo é fruto de uma parceria com a Faculdade São Luiz de muito tempo. Ele abordou um tema muito interessante, que é o novo ciclo econômico pós-crise”, afirmou.

Troca de ideias

Além de trazer palestras voltadas ao empresariado, o Almoço de Ideias também tem o objetivo de aproximar as pessoas, para que surjam novos negócios e parcerias. A ideia da Acibr ao mudar o almoço para antes da palestra foi também incentivar o contato entre os associados.

O vice-presidente regional da Federação das Indústrias do Vale do Itajaí (Fiesc) no Vale do Itajaí, Ingo Fischer, ressaltou as alterações no formato do evento. Para ele, a quantidade de pessoas na palestra foi importante para que a informação se espalhe e transforme a realidade ao redor de todos.

Fischer também frisou a importância da troca de ideias, em termo mais “moderno”, o networking. “O que é mais gostoso, quando a gente caminha para lá e para cá, são as trocas de ideias. Ideias de negócios, de investimento e de como fazer uma boa parceria”.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Brusque, Michel Belli, também esteve presente. Ele disse que a conversa pré-palestra é um dos principais atrativos que o Almoço de Ideias tem. Belli é figura carimbada no evento, não participou de apenas uma edição.

“O que eu acho muito legal também é a interação com os empresários, por que você senta numa mesa com vários lojistas e troca ideia do que ele está fazendo na loja dele para melhorar, e como ele está sentindo o impacto econômico”, afirmou o presidente da CDL. “Isso é muito importante. Além de ser culturalmente engrandecedor, tem a conversa com os amigos”, completou.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio