No terceiro ato, manifestantes param o trânsito em vários pontos do Centro de Brusque

Cerca de 50 pessoas participaram da manifestação, que iniciou na praça Barão de Schneeburg e seguiu em direção à praça Vicente Só nesta quarta-feira, 26 de junho

No terceiro ato, manifestantes param o trânsito em vários pontos do Centro de Brusque

Cerca de 50 pessoas participaram da manifestação, que iniciou na praça Barão de Schneeburg e seguiu em direção à praça Vicente Só nesta quarta-feira, 26 de junho

Os protestos populares continuaram em Brusque no início da noite de quarta-feira, 26 de junho. Um grupo de cerca de 50 pessoas se manifestou de forma pacífica pelas principais ruas do Centro. Eles pedem agora que as propostas entregues na Câmara Municipal saiam do papel. A Polícia Militar acompanhou o grupo durante todo o trajeto e não registrou incidentes. 

O grupo se concentrou na praça Barão de Schneeburg, no Centro, e marchou em direção à praça Vicente Só, próxima à Sociedade Esportiva Bandeirante. De acordo com um dos organizadores, Nelson Diego Mafra, a ideia do manifesto de ontem era manter a visibilidade alcançada com os protestos anteriores. “Já expomos nossas demandas. Agora é hora de manter a visibilidade que conquistamos. Precisamos ser vistos, precisamos que nossas reivindicações saiam do papel”.

Os manifestantes comemoraram a ação de terça-feira, na Câmara Municipal, a quebra do regimento interno do Legislativo, que cedeu a tribuna aos representantes, foi considerada uma vitória. “Fomos ouvidos, algo que nunca ocorreu antes”, avalia Mafra.

O pequeno grupo teve que improvisar para conseguir parar o trânsito. Em frente à praça Vicente Só, todos deram as mãos e formaram um círculo que obstruiu o início da rodovia Antônio Heil. Os motoristas ficaram impacientes e alguns tentaram furar o bloqueio, no entanto, foram impedidos pela Polícia Militar.

Em seguida, os manifestantes continuaram a marcha, cantando o hino nacional. Pararam novamente no cruzamento da rua Lauro Muller com a Pedro Werner. Ali, formaram o mesmo círculo. Dessa vez, um dos organizadores leu trechos de um texto escrito por eles para o manifesto. “Somos a voz do povo brusquense. Queremos muito mais do que medidas pontuais, queremos mudar o país”, disse Hellyfer Alberti. 

Em Brusque, esse é o terceiro ato popular em menos de uma semana. No sábado, 22 de junho, o protesto reuniu aproximadamente 6 mil pessoas. Na terça-feira, 25 de junho, um grupo interrompeu a sessão da Câmara Municipal para entregar reivindicações aos vereadores. O próximo ato está marcado para sábado, a partir das 14 horas. O trajeto provável será entre a Feira de Moda (FIP) e a Prefeitura de Brusque.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio