Rosemari Glatz

Professora da Unifebe

Nossas Praças – parte 1

Rosemari Glatz

Professora da Unifebe

Nossas Praças – parte 1

Rosemari Glatz

Brusque tem inúmeras praças. Algumas são maiores e/ou mais significativas, outras praticamente esquecidas. Mas, para além de ser espaço de entretenimento e lazer, praças são ambientes que contam a história do povo e que homenageiam pessoas ou fatos que são significativos para a sua gente.

São centros vivos, de discussões, um lugar para encontros entre a vida pública e privada, e também um convite à meditação sobre os monumentos, fatos históricos e hábitos dos cidadãos. Praças são espaços públicos dentro da cidade. E a cidade é o mundo que o homem criou. Assim, ao fazer a cidade, indiretamente o homem refez a si mesmo. A partir dessa reflexão, a partir de hoje compartilho com você, caro leitor, um pouco sobre algumas praças de Brusque. Iniciaremos “nossa viagem” pelas Praças Barão de Schneéburg e Vicente Só.

Praça Barão de Schneéburg
Localizada no coração da cidade, foi inaugurada em 1 de maio de 1951 e originalmente denominada Praça Salgado Filho. Na mesma ocasião também foi inaugurada a Estátua em homenagem a Cônsul Carlos Renaux, uma obra produzida por Agostinho Malinverni Filho. O espaço foi transformado em praça após a infeliz demolição do palacete da família Renaux, em 1949, e já passou por inúmeras transformações, presenciou diversas comemorações, manifestações e protestos políticos. A partir de dezembro de 1964, a partir de uma sugestão de Ayres Gevaerd, a praça passou a ser denominada Praça Barão von Schneeburg.

O Barão Maximilian von Schneeburg foi o primeiro diretor da Colônia Itajaí-Brusque, administrando-a honradamente e com especial dedicação desde a sua fundação, em 4 de agosto de 1860, até o seu afastamento da função por motivos de saúde, em abril de 1867. Organização e disciplina são palavras que descrevem adequadamente as suas características enquanto administrador.

Em pleno coração da cidade, próximo a vários pontos turísticos e estabelecimentos comerciais, a Praça Barão von Schneeburg tem enorme valor social, político e estético, ponto ideal para acolhimento tanto dos brusquenses quanto dos turistas.
Localização: Entre a Avenida Monte Castelo e a Avenida Cônsul Carlos Renaux. Centro. Brusque.

Praça Vicente Só
Inserido na programação oficial do Centenário de Brusque, em 4 de agosto de 1960 foi inaugurada a Praça Vicente Só, assim denominada em homenagem a Vicente Ferreira de Melo, um dos primeiros moradores da região. A cerimônia teve início às 8 horas, com o hasteamento da Bandeira Nacional no palanque oficial, execução do Hino Nacional e do Hino do Centenário, executado pela Banda da Policia Militar do Estado, seguido de discurso do Prefeito Municipal.

Durante o ato de inauguração também se procedeu à cerimônia das homenagens ao fundador da cidade, Dr. Francisco Carlos de Araújo Brusque, ao primeiro diretor da Colônia Barão Maximiliano de Schneeburg, e aos primeiros colonizadores, com a inauguração do Obelisco e respectivas placas de bronze. O discurso foi proferido por um membro da Subcomissão do Monumento ao Imigrante.

Em 4 de abril de 2011, a praça foi reinaugurada e recebeu 11 esculturas esculpidas em 2002 pelo artista plástico David Rodrigues. O obelisco do Centenário de Brusque, e as esculturas representando a chegada e o encontro dos imigrantes alemães com os indígenas, são os principais atrativos da Praça.

A Praça Vicente Só está implantada no local onde Pedro Werner acolheu, em sua casa e engenho, o primeiro grupo organizado de colonizadores alemães em 4 de agosto de 1860. E, embora pequena, proporciona momentos especiais para os apreciadores da história e da arte.

Localização: Rua Getúlio Vargas – Centro de Brusque

Continua na próxima semana

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio