Nova licitação atrasará retomada das obras na Bulcão Viana

Segundo a prefeitura, será preciso fazer novo processo licitatório para colocação de base e sub base do asfalto

Nova licitação atrasará retomada das obras na Bulcão Viana

Segundo a prefeitura, será preciso fazer novo processo licitatório para colocação de base e sub base do asfalto

Moradores da rua Bulcão Viana, no bairro Azambuja, terão que esperar mais um pouco pela pavimentação da via. Em que pese o governo do estado ter liberado R$ 1,25 milhão para a obra, no fim de dezembro, o novo governo municipal informou que há problemas técnicos a serem resolvidos.

Na data da posse, em entrevista, o vice-prefeito Ari Vequi informou que tomou conhecimento de que o recurso liberado pelo governo do estado é para a pavimentação da via. No entanto, segundo Vequi, não existe uma licitação – nem recurso previsto – para execução da base e da sub base que darão sustentação ao asfalto.

“A situação é que o recurso veio, o governo do estado cumpriu sua palavra. Agora existe um problema técnico, não é um problema financeiro, mas é um problema jurídico”, afirmou Vequi.

Segundo ele, agora a prefeitura terá que se reunir com a empresa licitada para executar a pavimentação, assim como representantes da Agência de Desenvolvimento Regional de Brusque (ADR), para tentar achar uma solução para o caso.

“O recurso está no caixa, mas não podemos gastar com a base e com a sub base, só da para pagar a pavimentação”, reitera o vice-prefeito. “Precisamos achar uma solução rápida porque a população nos cobra”.

A assessoria do vice-prefeito informou que ainda não há definições sobre qual será a solução. A princípio, o governo municipal terá que esperar que o governo estadual volte do recesso, na próxima semana, para agendar a primeira reunião.

Segundo a assessoria, serão debatidas possibilidades para retomada da obra o mais rápido possível, e quem ficará responsável pelos custos de execução da base e da sub base, sendo mais provável que esse custo caia no colo da prefeitura.

Em todo caso, o novo governo informa que há necessidade de se licitar esse serviço, o que significa que o prazo mínimo para início da obra, se tudo correr conforme o planejado, será entre 45 e 50 dias – tempo necessário para realização de um processo licitatório e assinatura de ordem de serviço.

Moradores da via estão inconformados com a demora na pavimentação. A obra chegou a ser iniciada pela gestão Bóca Cunha, mas paralisou por falta de recursos.

Cláudia Carvalho, moradora da via, foi uma das que assinou representação para que o Ministério Público investigue a situação da obra. Ela afirma que a situação, neste início de ano, continua a mesma, e que a associação de moradores irá procurar o prefeito Jonas Paegle para tratar do caso.

Os moradores reclamam que os buracos e as más condições da via, ocasionados pela paralisação dos serviços, geraram prejuízos aos comerciantes da região neste fim de ano.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio