Nova previsão aponta enfraquecimento de ciclone extratropical em Santa Catarina

Fenômeno perdeu força e deve ser bem menos intenso no Médio Vale do Itajaí

Nova previsão aponta enfraquecimento de ciclone extratropical em Santa Catarina

Fenômeno perdeu força e deve ser bem menos intenso no Médio Vale do Itajaí

O ciclone extratropical que se forma na costa sul do Brasil está perdendo força, apontam as novas previsões meteorológicas desta quinta-feira, 25. Com isso, a intensidade deve ser menor quando atingir Santa Catarina, sobretudo na região de Brusque, no Médio Vale do Itajaí.

Ronaldo Coutinho, do Climaterra, diz que os modelos estão apontando para a perda de força do ciclone. Ele deve atingir com pouco mais de força o Nordeste e o Norte do Rio Grande do Sul, e o Litoral Sul, Sul e Serra de Santa Catarina.

O meteorologista diz que os ventos ser devem fortes, mas mais fracos do que apontava a previsão inicial. A ventania deve ser intensa, mas dentro do que é normal para o estado.

Coutinho diz que o ciclone deve impactar menos a região do Médio Vale. Por aqui, a previsão aponta ventos menos fortes, na faixa dos 15 a 30 km/h, com rajadas de até 60 km/h.

Coutinho mantém a previsão de bastante frio para o fim de semana. Mas ele afirma que já não existe mais indicativo de geada para a região serrana.

O meteorologista Piter Scheuer também informa que as “últimas simulações numéricas vem indicando um progressivo enfraquecimento do ciclone extratropical”.

Neste momento, já que a previsão é dinâmica e pode mudar em poucas horas, a indicação dele é de que os ventos variem entre 60 a 70 km/h no Oeste e Meio-Oeste, 70 a 90 km/h no Litoral Sul e Grande Florianópolis, podendo até ter máximos de 100 km/h no topo da Serra Catarinense, 50 a 70 km/h no Vale do Itajaí e Litoral Norte.

“Durante a madrugada do domingo este ciclone ainda atua nas proximidades de Santa Catarina promovendo ventos fortes entre a madrugada e manhã no topo da Serra, Litoral Sul e Grande Florianópolis com sustentação de ventos acima dos 80 km/h”, diz.

Marcelo Martins, meteorologista da Epagri-Ciram, afirma que o mais forte do ciclone deve ser no mar, por isso ele deve ficar bastante agitado no domingo. Já no continente, os ventos devem ser mais fracos, em torno de 60 km/h.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio